5 de out de 2017

ADJUNTOS KOATAY 108.


ADJUNTOS KOATAY 108

Quando Tia Neiva foi preparada na Alta Magia, foi levada por Humarran ao Oráculo de Simiromba e ali recebeu o direito de trazer a Estrela Candente e de formar os Trinos, que seriam os representantes das nossas Raízes, o que se seguiu da ordem superior para fazer os Adjuntos. A formação de Adjuntos Koatay 108 (atualmente Arcanos) foi feita para estabelecer uma hierarquia dentro da Corrente, um elo de sustentação das forças, cada um recebendo sua consagração que o ligou a um Ministro. Passou, assim, a se constituir no poder  básico da Corrente do Amanhecer, sendo seus componentes integrados pelos médiuns - Doutrinadores e Aparás - que a ele devem filiar-se após o Curso de Pré-Centúria. Os Adjuntos Presidentes de Templos Externos já compõem seu povo com a totalidade dos médiuns locais.

·      “Sabendo que tudo que atinge a Humanidade tem a sua Raiz ou Adjunto, que trabalha distintamente em seus Oráculos, em sintonia cabalística, vamos, meu filho, penetrar no mundo encantado de Simiromba, nosso Pai e de seus Ministros. Removendo séculos, encontraremos, dos nossos antepassados, suas heranças nos destinos que nos cercam. Você, meu filho, denominado ADJUNTO DO JAGUAR, ORÁCULO DO AMANHECER!”  (Tia Neiva,  1.9.77)

A CONSAGRAÇÃO


            No dia 1º de maio de 1978, na Estrela Candente, foram consagrados os Adjuntos Rama e, em 23 de julho do mesmo ano, foram consagrados os povos dos Adjuntos Koatay 108 - Arjuna-Rama -, que receberam também a sua Lei, em ritual feito por Tia Neiva, realizada na Cabala especialmente construída para sua realização, junto à Estrela Candente. Nas explicações sobre o ritual, Koatay 108 esclareceu:

·      “Uma grande tribo partia para a guerra de suas novas conquistas quando um despertar de amor a fez voltar até o Santuário, pedindo a Amon-Rá que abençoasse aquele povo. Esta Iniciação, atravessando séculos, chegou até aqui! Arjuna-Rama entra no Oráculo - ou Santuário, com uma lança na mão, escoltado por ninfas Dharman Oxinto. No portão do Santuário pergunta à I Solitária Yuricy se pode se espiritualizar. Esta vai à presença do Sacerdote, que está com os poderes de Koatay 108, que lhe responde: se for por bem, diga-lhe que entre! Ele entra e recebe os poderes que lhe são merecidos, sal e perfume, pelas seguintes palavras: EU TE CONSAGRO KOATAY 108! Em seguida, toma o vinho e vai até o Trino, que lhe concede a graça pedindo que traga à sua frente o seu povo, a sua tropa, como disse Amon-Rá, fazendo daquele valente comandante de outrora um Arjuna-Rama. Depois do consentimento do Trino, volta ao Santuário, onde Koatay 108 ou seu representante lhe dará a Lei, que significa o Roteiro de sua Jornada. Com a mudança de seus sentimentos, vai pedir outra vez a Koatay 108 para espiritualizar seu povo, que entra no Santuário e se espiritualiza. Arjuna-Rama recebe o sal e o vinho e, em frente aos seus Capu-Anês - Sétimos Raios - faz, de joelhos, seu termo: o Juramento. Então, segue com o seu povo”.  (VEJA: RECONSAGRAÇÃO)

O JURAMENTO DO ADJUNTO


·      “Salve Deus! Oh, Jesus, nesta bendita hora, em que as forças se movimentam para consagração deste meu sacerdócio, eu, o menor de teus servos, ponho em Tuas mãos os meus pensamentos e todo o meu amor, para que a força suprema do Mestre Jaguar possa dominar todo o meu ser. Jesus! Remontando séculos, chego até aqui para cumprir as Leis do Amanhecer. Oh, Deus Onipotente, criador de todo o Universo! Eu, Jaguar (...), acabo de receber de minha Mãe Clarividente este sacerdócio, que me levantará o título de (...), na Linha de (...), e a força se fará dentro de mim, para que eu possa cumprir os encantos do Amanhecer. Jesus, que o meu Sol Interior não se afaste do Teu! Resplandeça, sempre, a luz da caridade e do amor! Que a tolerância e a humildade encontrem acesso em todo o meu ser! Confiante nos poderes dos Grandes Iniciados, não me faltará o raio resplandecente dos Ramsés e Amon-Rá. Raio de Araken! Poder de Aton! Oráculo de Simiromba! Aqui, de joelhos me prostro aos Teus pés, seguro pelos laços da Alta Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo, na esperança de uma Nova Era. Neste instante, me sinto consagrado pela força dos encantos do Amanhecer e, de ombros erguidos, seguirei minha jornada. Salve Deus, minha Mãe Clarividente! Juro seguir o teu roteiro nesta caminhada para um rico Terceiro Milênio, doutrinando, emanando e curando, transformando a dor no caminho de nossa evolução. Cuidarei, com respeito, desta Seta Imaculada que cultivaste em teu seio, há vinte anos, para me fazer (...). Eu, Mestre Jaguar desta congregação, a tua bênção, minha Mãe! Com ternura, prometo: Ninguém jamais poderá contaminar-se por mim! Salve Deus!”

LEI DO ADJUNTO


·      “O Adjunto tem toda a regalia na Doutrina e em suas inovações que quiser. Porém, tem que respeitar as Leis e os regulamentos internos. Sendo Adjunto, seus direitos envolvem todos os trabalhos existentes na Corrente Indiana do Oriente Maior, na Linha do Amanhecer, quero dizer: Linha Iniciática. A Corrente Mestra vem da Corrente Indiana do Oriente Maior. Simiromba é a junção de sete Raízes universais. Quando Simiromba se desloca, na sua ordem vão também se deslocando as Raízes, segundo sua necessidade, porque, filho, saiba pois, que as forças não se deslocam em vão. Segundo posso explicar, cada Raiz tem o seu conceito, porque atrai sempre a origem. É uma honra atender a Simiromba! Por conseguinte, há, inclusive, precisão na escolha ou na necessidade. Os Grandes Iniciados são precisos. Posso afirmar que há, inclusive, uma técnica. Eles não deslocam uma força indevidamente e, por isso, não devemos invocar. Invocamos sem saber o que merecemos. Porém, eles sabem, com precisão, do que precisamos. Uma Raiz é algo, por exemplo, como um estado de acomodação de forças em movimento de destaque. Podemos considerar que as Raízes foram formadas pelos Grandes Iniciados na Terra, assim como nós estamos tentando homogeneizar a Raiz do Amanhecer, bem como, também, uma contagem para um Adjunto. Uma contagem só se forma pelos seguintes médiuns: Orixá, na Linha Afro, Arjuna-Rama, na Corrente Indiana, que tem como sinônimo o Primeiro Sétimo, Adjunto Koatay 108 Arjuna-Rama (tradução: Multiplicação Divina); VII Raio - D’Havaki Gita (tradução: Ilimitado); VI Raio - D’Hira (tradução: Continuação). As Ninfas Sol Yuricy são as ninfas classificadas para as invocações e consagrações.” (Tia Neiva, 23.7.78)
·      “Desejo-lhe um próspero ano novo, ano de progresso, ano de amor, com harmonia em todos os sentidos, na vida e na morte. Saiba, pois, que tua vida, num conjunto de harmonia, se estende na melodia universal, sendo do físico ao etero-magnético, sempre conquistando, sempre descortinando tudo aquilo que traduz vidas em seus mistérios. Fostes colocado Adjunto, na força vingadora de KOATAY 108, para a grande revelação de um mundo em desenvolvimento. Desejo, filho, que as forças dos encantados rebrilhe sobre teu Sol Interior, dispondo-se no Terceiro deste Sétimo. Ninguém deverá conhecer o manejar de tua espada. Ninguém poderá arrebatar do teu punho os mantras silenciosos que arrancaste do seio de tua Mãe KOATAY 108. Mestre Jaguar, é chegada a hora. As forças se movimentam nos três reinos desta natureza. Os planetas já se destinam em direção de tua orbe. Marche, filho, portanto, com este objetivo, desta estrada culminante na lei de auxílio. Filho... Filho querido do meu coração, filho de Esparta , Jaguar  Rama 2000, que na regência de um povo seguirás impune, mesmo que seja preciso atravessar o vale das sombras da morte. Jesus, o sol da vida, emitindo sobre os Raios de Araken  irá despertar os seres que ora ainda vivem sob os vossos pés, sempre confiante em teu amor, filho meu. Sobre o azul do céu, mantras, mil mantras, que virão como espadas luminosas, colocar-se-ão ao teu punho, filho meu, para que possas levantar do teu pé o Homem arraigado em sua terra natal. A raiz que ainda não se transformou em gota medicinal, a roseira que ainda não brotou a sua rosa..., a palmeira que soube balançar as suas palmas... Emitir o sol, a ave do inverno que não pode revoar... a terra arada que ainda não teve forças de vingar sua semente..., o homem que ainda não recebeu a sua graça. Tua missão, teu sacerdócio exige tudo que disse acima, o que ainda não é tempo de dizer. Todo amor nesta marcha , neste NOVO AMANHECER, que depende de conheceres a ti mesmo, para melhor emitires a humildade, a tolerância e o amor, que  é a Lei de tua regência. Todo o universo ouve o teu sagrado juramento, que fizeste com as seguintes palavras: Oh, fira-me quando o meu pensamento afastar-se de ti. E mais, ao tomar o cálice: Este é o teu sangue! Ninguém jamais poderá contaminar-se por mim. De Deus terás tudo por estas  palavras. Teu PAI SETA BRANCA, em CRISTO JESUS, SIMIROMBA, também em teu amor. (30 DE DEZEMBRO DE 1978)

SIMBOLISMO DOS ADJUNTOS KOATAY 108

·      “A jumba representa a força decrescente: pelo lado direito, contamos com os Sétimos decrescentes; pelo lado esquerdo, os VI Raios vibratórios; as duas do meio representam o poder giratório de Koatay 108 na Linha  de Simiromba. Os Sétimos Raios se representam na pluma que está equilibrando a ponta do Radar. As duas luas representam as duas forças energéticas do nosso planeta - o Sol e a Lua - no simbolismo de Adjuração e Ajanã, com a Cruz de Ançanta em frente, de pé, representando os três mistérios da Divindade. A Cruz de Ançanta é a Chave da Vida e, também, a Chave do Vale dos Reis, de Ramsés, de Akinaton e Amon-Rá, trazido pelo Trino de Irishin, onde se formou o Adjunto de Jurema. Os olhos traduzem visão ampla, clareza. Os raios, a força decrescente dos Grandes Iniciados de Araken. O escudo com duas espadas - a Espada do Bem e a do Mal. O Sol Simétrico representa a força da Corrente Indiana do Oriente Maior. O livro e a pena, a Ciência e a Sabedoria. A taça, a força iniciática do Prana. O negro, o simbolismo da força oculta do pensamento.” (Tia Neiva, s/d)

OS PODERES DE UM ADJUNTO KOATAY 108

·      “Ministro, Legião, Terceiro Sétimo, força vibradora. Digo, força vibradora decrescente giradora. Força decrescente que se desenvolve pela energia dos grandes atributos da Terra. São forças que se desagregam e se emitem em outras legiões. Em Koatay 108 percorre a necessidade onde cabe chegar a evolução de cada Adjunto que ainda pertence à Terra (não é preciso dizer que ainda pertence à Terra: falando em Koatay 108 falamos em Adjuntos nos carreiros terrestres). As legiões, onde seus Ministros consagram um Adjunto aqui na Terra, são responsáveis por ele. Sim, desde que ele (Adjunto) disponha de uma força decrescente. Porque o Adjunto Koatay 108 dispõe de uma energia que é designada a grandes fenômenos extrasensoriais. Esta força se expande porque o Adjunto Koatay 108 gera do Primeiro para o Terceiro. Digo: Primeiro para o Terceiro é força decrescente. Por conseguinte, gera força energética. Energética é força de energia vital ou força do Jaguar. Essa energia é uma força, quando emitida em um ritual religioso - a força do Jaguar!  Falando-se em energia, devemos saber que há poucas espécies de energias. Energia, como se sabe, só o Homem na Terra dispõe. Sim, energia! Tudo é energia. Não há boa nem má - ela existe. Depende de seu estado, da natureza, da hora, de quem e como emite a energia. A energia que sobe do Primeiro para o Terceiro Plano, que eu conheço pelos meus olhos de clarividente, é única e exclusivamente a do Jaguar Consagrado, que emite até sua Legião, na Linha do Auxílio, para beneficiar outros da mesma tribo. Isto é, a energia que o Mestre Jaguar desenvolve na emissão, ou melhor, emite em seu canto, é captada nas pequenas estações de sua Legião para servir em socorro dos grandes vales da incompreensão, dos necessitados em Cristo Jesus. Esse pequeno posto que eu, Jaguar, emito, é o meu Terceiro Sétimo, é o que é MEU. É  do que dispõe a minha abertura e a dos demais que precisam de mim, digo, em nome de qualquer emissão de um mestre consagrado. Toda força decrescente de um Adjunto segue pelo que é SEU, o SEU Aledá, o SEU posto de receptividade na linha do SEU Adjunto. Se eu tiver - EU - 7 Raios na Linha de Koatay 108, em minha linha decrescente autorizada, crio, aos poucos, a minha estação, o QUE É MEU, o que cabe, por Deus, aos meus esforços, ao meu amor, ao meu plexo em harmonia. Isto é o meu pequeno ALEDÁ, que servirá aos meus dependentes num mesmo conjunto de forças. Um só Aledá, de pequenas estações, na proporção do meu amor e na harmonia dos três reinos de minha natureza, que é o meu SOL INTERIOR. Na conjunção de um Adjunto, vou também emitindo e edificando a minha estação, o meu Aledá. Por que - podem perguntar - somente um Adjunto consagrado em seu povo decrescente? Porque somente um povo decrescente consagrado em uma força  poderá emitir a sua energia no que É SEU! Digo, no posto, na legião originalizada, na amplidão do que é seu, o seu Aledá, o seu Terceiro Sétimo. Não há condições de um mestre, sem as suas devidas consagrações, atingir o seu Terceiro Sétimo. As hierarquias o obrigam, uma vez que tudo é Ciência, precisão e amor. Mesmo porque a receptividade ou energia dessa natureza, na qual estamos, é extraída da força extra-cósmica que reina nos três reinos de nossa natureza. O ectoplasma a envolve, dando a faculdade para ultrapassar as barreiras do neutrôm e chegar ao reino prometido. Não há fenômenos sem a causa porque não há causas sem o fenômeno! E, dentro destes princípios, pensamos que valem a pena nossos esforços. O menor trabalho de um Adjunto é esse, que vemos, a olho nu, aqui no mundo físico. A grandeza, mesmo, é o que os meus olhos de Clarividente, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, tem registrado: são as chegadas dessas forças nas origens, onde quer que haja necessidade. Porque essa força - ENERGIA VITAL - é a libertação do espirito a caminho, é o alimento que arrebenta as correntes dos acrisolados, das vibrações da Terra.”  (Tia Neiva, 9.10.79)

AS OBRIGAÇÕES DE UM ADJUNTO

·      “Filhos, jovens Adjuntos Koatay 108! Adjunto é um governo. Ele governa pelo amor e pela justiça, dando-se a cada um segundo as suas obras. Se o Adjunto irradia amor, ele entra no Primeiro Ciclo; se ele emite o seu desequilíbrio, afasta-se do Ciclo.(...) Sim, meu filho, Adjunto Koatay 108: há três graus de hierarquia, como há três portas no Templo! Há três Raios de Luz, há três Forças da Natureza. Estas forças são governadas pela Justiça e pela Ordem, dando a cada um segundo as suas obras. O Templo é a realização da Verdade e da Razão sobre a Terra. Por ele o Homem domina a Ciência e, pela Sabedoria, emana seus conhecimentos. O teu padrão, meu querido Adjunto, é o princípio e o fim de tua obra, de tua missão! Entenda, filho, que havendo à tua frente três hierarquias, três raios de forças desiguais, tu só as manipulas pelo teu sábio comportamento, isto é, as forças vêm ou chegam cruas para serem preparadas e distintamente manipuladas.(...) Filho, na Lei do Auxílio, quando não conhecemos as Ciências Ocultas, por estar na Linha da Caridade, achamos que nada nos acontece. Nem tanto, filho. Juramos uma Ciência, e nada acontece sem razão. A Ciência Oculta é indispensável no teu caso, meu filho Adjunto, para melhor esclarecer a Ciência da vida fora da matéria.(...) Meu filho Ajunto Koatay 108: sem a pretensão de te fazer um monge ou um robô místico, vou te descrever as pequenas obrigações de um ATIVO ADJUNTO:

Þ  Tornar-se um perfeito cavalheiro e aprender a dar o devido respeito aos outros.
Þ  Não passar simplesmente de um religioso acomodado nas maravilhas do misticismo.
Þ  Aprender a ser tolerante, mesmo diante da provocação dos seus colaboradores.
Þ  Seguir os princípios do Santo Evangelho e de suas revelações, fixando-se nas comunicações reveladas.
Þ  Não causar ansiedade para os outros pelas ações de teu corpo, pelos pensamentos de tua mente ou por tuas palavras.
Þ  Não se identificar falsamente com grosserias, fazendo-se de melhor, abusando de tua autoridade.
Þ  Não se apegar a nada que te faça sofrer.
Þ  Procurar assumir teu compromisso de família com amor, mesmo à distância dos mesmos, ou quando, por incompatibilidade, te afastares da esposa e dos filhos.
Þ  Discernir entre o que é importante e o que não é; ser firme como uma rocha quando à tua frente tiver que decidir entre o Bem e o Mal. Esforçar-se para averiguar o que vale a pena ser feito, não usando, em vão, as tuas armas.
Þ  Não entregar tua alma à fatalidade, que é a verdade infernal, possessões da fatalidade das almas enfraquecidas, sem fé em Deus. Estamos com duas espadas com que podemos nos defender. Filho, o segredo das Ciências Ocultas é o da Natureza mesmo. É o segredo da geração dos Grandes Iniciados e dos mundos de Deus. Os grandes talismãs da Vida, a substância criada, é chamada ATIVIDADE GERADORA. A manipulação do fogo na mirra, sal e perfume.
Þ  Evitar a disciplina relacionada com os outros. Lembra-te, sempre, que enquanto tiveres um corpo material terás que enfrentar as forças do teu plexo físico: nascimento, velhice, doença e morte. Não devemos pagar nada além das necessidades da vida física.
Þ  E, para melhor servir em tua hierarquia, criar uma personalidade em frente das três portas da Vida Iniciática, sem ironia, com distinção do que respeita, amando!”  (Tia Neiva, 17.5.78)

·      “O Adjunto tem por obrigação registrar em sua Lei um Retiro, que seja evangelizado e comandado por ele mesmo, pelo menos uma vez por mês, razão pela qual um Adjunto é um médium perfeito. Para ser perfeito, é preciso conhecer a Lei do Auxílio em todos os ângulos, pois o mestre que não comanda o seu Retiro perde a seqüência de sua sintonia direta. O mestre não pode se ausentar das constantes sintonias diversas, como também, sendo um Adjunto, torna-se um mau exemplo para um componente. O Adjunto tem que ser completo em todos os setores. Apesar de suas obrigações nos trabalhos, deve escolher um dia para realizar o seu Retiro. Filhos, hierarquia foi do que avisei! Somente o Adjunto pode remover seus mestres e promover eventos, ou, sabe Deus, o que lhe convém. Em iminência de fatos contrários à Doutrina, princípios sociais do Templo ou na conduta doutrinária, os Trinos Presidentes estão autorizados por mim, na figura de Koatay 108, a impedir ou mudar uma ordem de um mestre Adjunto.” (Tia Neiva, s/d)

O POVO  E  O ADJUNTO ARAUTO


·      “As incumbências de um Adjunto Koatay 108 são algo de séria importância, não havendo meio termo. Por exemplo: um POVO! Além do já descrito para um Adjunto sobre seu povo e suas responsabilidades doutrinárias e sua conduta espiritual, o povo de um Adjunto não deve ser  tão somente dinâmico, mas sim um povo em harmonia doutrinária, deixando de se preocupar com a posição que poderia desenvolver os seus Sétimos. Meus filhos, reparei neste erro quando os vi sentados para atender a pequenos caprichos dos seus Sétimos, antes de se harmonizarem com seus Sextos Raios, seus padrinhos, bem como com suas Yuricys, suas Jaçanãs, suas Dharman Oxinto, suas Samaritanas, seus Comandantes Janatã, e assim por diante. Sim, seus problemas espirituais, seus grilos, seus conflitos, seus clamores, suas dores... sem participar, é claro. Com este mesmo espírito, meu filho Adjunto Koatay 108, eu quero lhe fazer entender o que é um Arauto. O Arauto é um Adjunto Koatay 108, com todas as regalias de um Adjunto, seu Ministro, sua cassandra, sua posição nas filas extras. O Arauto pode ocupar a cassandra de outro Arauto, isto é, Cassandras Ilimitadas, porque as outras já foram feitas para o Adjunto de povo. O Adjunto Koatay 108 Arauto é um Adjunto à espera da grande oportunidade de fazer seu povo, em qualquer tempo que lhe convier. O seu povo se limita aos seguintes Mestres: Padrinhos e sua escrava; uma Yuricy, uma Dharman Oxinto; uma Samaritana; uma Jaçanã; um Comandante Janatã; dois Magos e uma Muruaicy, todos podendo sentar em sua cassandra.”  (Tia Neiva - s/d)

Nenhum comentário: