30 de out de 2013

Biografia de Tia Neiva


Biografia de Tia Neiva 

Com a aproximação do Terceiro Milênio, surgiu a necessidade de mais uma vez ser feita a integração das raízes capelinas neste planeta.Um espírito foi preparado, na Espiritualidade Maior, para trazer à Terra a Doutrina de Pai Seta Branca, após experiência de muitos milênios, portando a força dos Equitumans, a ciência dos Tumuchy e tendo como principal missão a reunião dos Jaguares e a criação da figura inovadora do Doutrinador, manipulando as forças projetadas pela Corrente Indiana do Espaço e pelas Correntes Brancas do Oriente Maior.Tendo reencarnado em diversas épocas com papéis preponderantes em suas épocas, como, por exemplo, Pytia, Cleópatra e Natasha, esse espírito conhecido no mundo espiritual como Koatay 108, portador de 108 mantras de forças, seria, durante esta missão de implantação da Doutrina do Amanhecer na Terra, conhecido como Tia Neiva. Nesta jornada, seria ainda homenageada pela Espiritualidade Maior com o título Agla.Reencarna no sertão brasileiro, em Propriá, Sergipe, como uma menina que se chamou Neiva, nascida a 30 de outubro de 1925 e que desencarnou em Brasília, DF, no dia 15 de novembro de 1985, já tendo cumprido sua jornada em meio a muitas dificuldades e grandes realizações.Em 1949, com 22 anos e quatro filhos, Neiva ficou viúva e teve que buscar seu sustento. Começou sua vida profissional em Ceres, onde montou o Foto Neiva, tirando retratos e vendendo material fotográfico, mas teve que desistir, por recomendação médica. Com sua forte personalidade, ela não se deixou abater. Comprou um caminhão e tirou habilitação profissional, a primeira concedida a uma mulher no Brasil, e começou a transportar cargas por todo o país.Sempre em lutas e preocupações permanentes – os pais, que não aceitavam aquela estranha profissão para uma mulher; os sogros argentinos, que queriam a guarda dos dois seus filhos meninos; os estudos das crianças, etc. – Neiva saiu de Ceres e fez verdadeira peregrinação por outros lugares: Uberlândia (MG), Barretos (SP), Paranavaí (PR) e Itumbiara (GO). Em 1957, fixou-se em Goiânia (GO), e passou a dirigir ônibus, porém mantendo seus caminhões em serviço. Nesse mesmo ano, com a oportunidade da construção da nova capital – Brasília -, Neiva mudou-se com a família para o Núcleo Bandeirante, ponto inicial das obras da nova cidade, trabalhando com caminhões na NOVACAP. Estava com 32 anos quando sua mediunidade se abriu, revelando-se sua clarividência. Durante mais um tempo, Neiva via e ouvia os espíritos e podia prever o futuro e revelar o passado das pessoas, o que a deixava desesperada por ter tido uma formação familiar rigorosamente católica.Sua trajetória, então, passou por penosa adaptação para aceitação de sua missão.O potencial de Tia Neiva não pode ser resumido na clarividência, pois ela foi dotada de mediunidade universal, isto é, possuía todos os tipos de mediunidade, qualidade peculiar de um ser Iluminado, pois, segundo a Lei dos Grandes Iniciados, somente um Iluminado pode iniciar alguém.Essa condição permitiu que, dentro de modesta e simples condições, Tia Neiva vivesse e agisse, simultaneamente, em vários planos existenciais com plena consciência em cada um desses planos, visualizando o passado ou o futuro, traduzindo suas visões em termos coerentes e racionais.Podia ver e conversar com seres de outras dimensões e de planos inferiores ou superiores, realizava transportes e desdobramentos, o que permitiu que fizesse um curso no Tibete, com o Mestre Humarram, sem que seu corpo físico de deslocasse do Vale do Amanhecer.Em 1958 deixou o Núcleo Bandeirante, onde começara sua missão espiritualista, e junto com seus filhos Gilberto, Carmem Lúcia, Vera Lúcia e Raul, e mais cinco famílias espíritas, fundou, em 8 de novembro de 1959, a União Espiritualista Seta Branca - UESB, na Serra do Ouro, próximo a Alexânia, Goiás, dando início à missão que recebera de Pai Seta Branca. Em um rústico templo iniciático, pacientes eram atendidos pelos médiuns que ali residiam, em construções de madeira e palha. Tia Neiva mantinha ali, também, um hospital e um orfanato com cerca de oitenta crianças. Plantavam, faziam farinha para vender, pegavam fretes, e tudo era válido para ajudar na manutenção do grupo.Em 9 de novembro de 1959, Tia Neiva ingressou na Alta Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo.Em 1964 mudou-se para Taguatinga, onde funcionou a Ordem Espiritualista Cristã, e sendo Tia Neiva mais uma vez internada por causa da tuberculose.Após trabalhosa busca para encontrar o local certo para se fixar, Tia Neiva e seu grupo chegaram a Planaltina, DF, em 9 de novembro de 1969, onde fundou o atual Vale do Amanhecer.Pela Doutrina, Tia Neiva implantou a importante conduta doutrinária em seus médiuns, capacitando-os ao atendimento sob a ação das forças iniciáticas, sem precisar da manifestação dos pacientes, que não precisam revelar quem são, o que fazem ou de onde vêm.Vivificando o Evangelho de Jesus, simples e humana, foi Tia Neiva uma grande mãe para todos nós, sempre nos tratando com amor e carinho, compreensão e tolerância, suavemente nos impondo o respeito e a obediência a ela devidos como líder de uma Corrente cuja grandeza e limites não podemos alcançar.Sua vida, suas dificuldades, seu sofrimento, sua Doutrina, de tudo consta uma grande parte nos diversos trabalhos editados pelo Vale do Amanhecer - “Sob os Olhos da Clarividente”, “2000 - A Conjunção de Dois Planos” e “Minha Vida, Meus Amores”.No Evangelho de João (XIV, 12 a 17 e 26), nos é transmitida a palavra de Jesus: Na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai! E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei! Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre: o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós os conheceis, porque habita convosco e estará em vós! Mas aquele Consolador - o Espírito Santo – que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito! Na Doutrina do Amanhecer, sabemos que somos espíritos imortais, dotados de livre arbítrio e da consciência de nossas missões, trazendo em nosso espírito as marcas das vivências em diversos mundos, em diferentes épocas, buscando o nosso desenvolvimento para que melhor possamos manipular as forças que nos competem, agindo na Lei do Auxílio em benefício de nossos irmãos encarnados e desencarnados, aliviando nosso carma pela Lei de Causa e Efeito, procurando a afinidade com nossos irmãos evoluídos e a harmonia com os Espíritos de Luz, através da busca do conhecimento e aprimoramento de nossa conduta doutrinária.E tudo isso devemos à nossa Mãe Clarividente, Tia Neiva, Koatay 108, que representa, para nós, aquele ESPÍRITO DA VERDADE, porque nos trouxe uma nova esperança, através desta Doutrina que nos libertou de dogmas religiosos e superstições, fazendo, em nossas mentes, a substituição de velhos ensinamentos, que exigiam a fé cega e desprezavam a razão, por noções simples e claras, com bases científicas, com idéias diretas e profundas que nos permitem entender o Universo que nos cerca, buscando o precioso veio da verdade nas diferentes correntes, religiões, seitas e filosofias, onde podemos buscar as grandes linhas trazidas de Capela, nos harmonizando e conciliando a Fé e a Ciência que nos impulsam para a Nova Era.Tia Neiva era portadora de 108 mantras, forças de origem extra-cósmica, que implantou nos trabalhos do Amanhecer. 108 é um número cabalístico. Temos, no budismo, 108 imperfeições humanas; são, no hinduísmo, 108 os nomes do deus Krishna; na China, a astrologia nomeia 108 estrelas sagradas. Quando da energização da Estrela Candente, no Vale, Tia Neiva preparou 108 portais de desintegração, um em cada esquife, para as passagens dos espíritos trabalhados no ritual. Em mensagem de 9 de abril de 1978, Tia Neiva nos disse: “... É somente pela força do Jaguar, nesta Doutrina do Amanhecer, e na dedicação constante de nossas vidas, por amor, que podemos manipular as energias e transformar o ódio, a calúnia e a inveja em amor e humildade, nos corações que, doentes de espírito, permanecem no erro. Quantos se perdem por falta de conhecimento e por não terem a sua lei. Nós temos a nossa Lei, que é o amor e o espírito da verdade! Vamos amar, e na simplicidade de nosso coração, distribuir tudo o que recebermos, na Lei do Auxílio, aos nossos semelhantes...” 
ღ.Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ.ღ 
.♡

29 de out de 2013

TROCA DE ROSAS



30 de outubro. Ninfas e Mestres por toda a Terra entram em sintonia com as vibrações do amanhecer. Mantras. Véus, Capas esvoaçando. Doutrina emanando. Dia do aniversário da Mentora- Mãe. Dia do Ritual de Troca de Rosas. Mas, penso, o que representa esse Ritual? Sabe-se que a primeira troca de rosas aconteceu quando Mãe Yara, incorporada em Tia Neiva, trocou rosas com Mário Saci, isto em 1976 ou 1978. Fico pensando, imaginando este sublime momento presenciado por alguns privilegiados.
A rosa, no vale do Amanhecer representa e é símbolo da pureza espiritual e dos sofrimentos da vida, pois tem sua aparência linda e seu perfume suave, mas, tem também seus espinhos. A rosa na Espiritualidade simboliza a força do amor e a pureza dos sentimentos ( conforme informações do Acervo). Imagino, então que, a TROCA DE ROSAS seja um ritual específico de reafirmação do nosso compromisso missionário, momento no qual, troca-se Energias entre Apará e Doutrinador; os lembrando,reciprocamente, e beleza de se estar a serviço do Mestre Jesus em favor da própria jornada e em favor daqueles que se inimigos. E, no momento da troca também relembramos as dificuldades diárias para o cumprimento da missão, os espinhos que tantas vezes nos ferem o corpo e o espirito, os obstáculos contínuos da caminhada que por tantas vezes nos fazem tropeçar e quase cair.
Mas, também é possível nos lembramos da ROSA DO AMANHECER, nossa Mãe clarividente, símbolo de pureza de sentimentos e de amor incondicional e nos realizamos nessa Energia de Troca, de Partilha, de compartilhamento e de reafirmação o compromisso doutrinário.Por ser um Ritual deve ser feito com seriedade, harmonia de pensamentos e gestos, com concentração, a fim de que , tenhamos merecimento de receber o que fomos buscar em proveito pessoal e em proveito de demais seres deste planeta, próximos ou não. lembrando sempre que merecimento é "condições que cada um cria para nós mesmos, de modo a nos tornar dignos de premiação, apreço ou estima, ou de castigo ou desprezo, tendo em conta nossos atos, nossas reações, nossas palavras e nossos pensamentos." ( Tumarã).
É um Ritual festivo, é certo; festivo pela data 0 de outubro, aniversário de Tia Neiva. Devemos nos alegrar e alegria deve ser o sentimento a nos envolver sempre que Nela pensarmos e não a tristeza. Alegria por tudo que nos ensinou, por tudo que nos propicia viver e alegria por sermos herdeiros da sua herança de amor, verdadeira pérola de luz a iluminar nossos dias. Mas, festivo não é sinônimo de dispersão, de tumulto ( interno ou externo), de agitação sem motivo.
É na harmonia, na paz e na sintonia com os Planos Superiores que este ritual terá a significação e propósito que nos trouxe Mãe Yara naquele distante 30 de maio quando trocou uma rosa com o Trino Tumuchy; e esta rosa agora trocada entre o Mestre Sol e Mestre Lua realmente harmonizados na humildade, na tolerância e no amor incondicional, deixará seu perfume, não apenas em nossas mãos; mas, também, em nossos espíritos e m nossos corações!
SALVE DEUS.

18 de out de 2013

O ALCOOL E SUA AÇÃO




ÁLCOOL

Álcool é um líquido incolor obtido pela fermentação de substâncias açucaradas ou amiláceas, de forma natural ou sintética, componente da maioria das bebidas consumidas pelo Homem, gerando vícios e transtornos físicos e espirituais.
O consumo de álcool é, juntamente com o uso de tóxicos e o cruzamento de correntes, objeto de séria advertência para o médium que pretende ingressar na Corrente Oriental do Amanhecer. 
Em apenas 8 segundos, o álcool é absorvido pelo sistema digestivo e penetra na corrente sangüínea, agindo diretamente no fator mediúnico e atingindo todo o organismo, especialmente o cérebro, interferindo de forma intensa na mediunidade, na emissão do ectoplasma e na polaridade dos componentes celulares. 
Causa, a princípio, euforia, bem estar, vontade de cantar, falar, e dá uma sensação de leveza, até que, metabolizado pelo fígado, é desdobrado em outros elementos e eliminado pelos pulmões, pela urina e pelo suor. Atua numa eventual pancreatite, que causa a destruição das células beta do pâncreas, que produzem a insulina, gerando grave quadro de diabetes. 
A questão é que este desdobramento do álcool tem limites, e o que excede permanece na circulação sangüínea, alterando o estado da pessoa, que passa a ficar zonza e a falar enrolado, pela falta de controle da musculatura da língua. Há aqueles que aprendem a controlar esses descontroles físicos, mas isso não impede que a pessoa que ingere álcool fique transformada em um polo emissor de cargas negativas, tornando-se foco de abastecimento de energia para numerosos espíritos sem Luz, não só pela própria energia emitida por seu plexo, mas, também, pela respiração, pois expele partículas de álcool eliminadas pelos alvéolos pulmonares.
Essas condições é que tornam terríveis os ambientes onde se consome muito álcool, fazendo com que ali se concentrem forças inimagináveis que levam a brigas, conflitos e, não raramente, a desencarnes dramáticos. Tia Neiva nos dizia que, no mundo social e físico, seria impossível conseguir-se uma posição religiosa iniciática com um médium embriagado ou mesmo com pequeno fator de álcool em seu organismo. Um homem que ingere álcool jamais conseguirá proporcionar um fenômeno evangélico, puro, iniciático, na linha do mestre Jaguar deste Amanhecer, que representa a Nova Era do Terceiro Milênio. 
A pessoa, ingerindo álcool, se torna verdadeira escrava de irmãos das Trevas, que levam sua vítima a crises cada vez maiores e abismos mais profundos, tornando-se incapaz de controlar, por sua própria vontade, a quantidade a ser ingerida, chegando ao ponto de nem mesmo saber parar de beber. 
Tomando-se por base o teor alcoólico de uma dose de uísque ou bebida destilada similar, pesquisadores observaram que um adulto responde da seguinte forma: 
• 3 doses: a pessoa relaxa, torna-se falante e fica desinibida, porém já com diminuição dos reflexos; 
• 6 doses: declínio do estado de espírito e desaparecimento da autoconfiança, da concentração e da memória, torna-se cambaleante, confusa, com dificuldade de efetuar tarefas as mais comuns e de se controlar, inclusive na articulação da fala, que se torna engrolada, e passa do estado de depressão ao de elevado grau de agressividade; 
• 9 doses: causam intoxicação profunda, com dificuldades para a pessoa se manter em pé, com a mente transtornada, passa rapidamente por momentos de choro convulso e de acessos de raiva, desencadeando emoções totalmente descontroladas, sem qualquer senso de responsabilidade; 
• Acima de 9 doses: faixa em que pode ocorrer o coma alcoólico ou o desencarne pela disfunção respiratória. 
Alguns dados estatísticos revelam a devastação social provocada pelo alcoolismo: alcoólatras ocupam mais de 40% dos leitos em tratamentos nos hospitais psiquiátricos; 60% dos crimes contra a pessoa humana acontecem por ação da bebida alcoólica, que também causa o abandono do lar por quase a metade dos menores moradores das ruas, nas grandes cidades; e o prejuízo na produção, onde o álcool é responsável pelos acidentes de trabalho e queda de mais de 30% na capacidade operacional do trabalhador. 
Por tudo que já foi visto, o alcoolismo é considerado uma enfermidade de dependência. Há um velho ditado: “À criança e ao borracho, Deus põe a mão por baixo!”, explicando a aparente proteção divina que os bêbados recebem. Engano de interpretação, pois o bêbado se coloca muito distante de Deus e da Espiritualidade Maior. Sua proteção vem dos irmãos sem Luz, que não querem perder a sua mina de energia negativa. Enquanto útil, terá todo o cuidado daqueles que se abastecem de suas energias. 
Devemos ter em mente, sempre, que os mesmos poderes possuem as Entidades da Luz e as Inluz, isto é, a proteção de um ser encarnado pode estar por conta de Espíritos de Luz ou, de acordo com sua utilidade, pelos irmãos das Trevas! 

Em reuniões sociais ou ambientes onde haja bebida alcoólica, deve o Jaguar se cuidar, mantendo-se alerta, principalmente aquele que, algum dia, já foi consumidor de álcool. Os irmãozinhos vão tentar induzi-lo a voltar ao álcool. Somente um copo, uma cervejinha - tentarão os “amigos”, e ainda podem apelar para formas mais contundentes, tais como, “mostre que é homem” ou “deixe de ser fanático”. Tudo parte do trabalho das Trevas, para destruição do Jaguar. 
Alertai! Mas o grande perigo não está na degeneração da força iniciática. Segundo Koatay 108, durante o sono sofremos o desdobramento, indo nosso espírito para o Canal Vermelho (*), onde vamos trabalhar com a força do nosso magnético animal, usado pela Espiritualidade para o auxílio aos irmãos que aguardam a continuação de suas jornadas. Ali liberamos energia vital iniciática. Caso tenha consumido álcool, a energia vital se torna energia envenenada, e não teremos como cumprir nossos compromissos.
Algumas contradições existem com relação a medicamentos contendo álcool. Existem determinados produtos medicamentosos que só se dissolvem em álcool, principalmente xaropes e remédios homeopáticos e da flora. Pelo pequeno teor de álcool e, pela consciência de cada um, considerando o período de sua ingestão, pode ser feito o seu uso. A Espiritualidade saberá da necessidade desse consumo, e tomará providências para proteção. Dentro do organismo é erguida barreira magnética, sendo bloqueada a ação do álcool ingerido. 
Em condições normais, uma gota de álcool leva cerca de oito horas para ser eliminada. Mas, nos casos de necessidade médica, esse tempo se reduz, não havendo comprometimento para o médium. Isso não se aplica aos casos não medicamentosos, e o médium do Amanhecer deve evitar bombons, balas e alimentos ou bebidas contendo álcool, mesmo em porções reduzidas, porque não terá a proteção magnética, e sofrerá plenamente as conseqüências de sua irresponsabilidade. 
Outro cuidado é o controle emocional, pois a Ciência vem comprovando uma teoria de que, ao ser submetido a uma forte tensão, o Homem sofre a deficiência de uma substância até o momento não identificada que o leva à necessidade física de consumir álcool. 
Por isso, devemos ter a orientação e a confiança na Corrente, buscando, nos momentos difíceis, a ajuda de nossos Mentores.

fonte: Observações Tumarã.