30 de out de 2012

O DOUTRINADOR E O APARÁ


l Meu filho Jaguar: Salve Deus!

Sabemos que existem muitas mediunidades, porém o Doutrinador e o Apara são a base para seguir a missão. Sem o desenvolvimento de um desses aspectos nada é feito no plano iniciático. Muitas vezes eu me vejo em situações difíceis, para depois ver um médium se acomodar, acomodando-se em sua mediunidade. Todo homem tem sua missão na Terra e, geralmente, vem com seu plexo aberto para cada missão. É possível, também, completar seu tempo em uma e se voltar para outra missão, com muito cuidado, porque cada desenvolvimento desenvolve, também, o seu plexo nos três reinos de sua natureza. Naturalmente, é desenvolvido de acordo com a sua missão. Resumindo, veremos que o plexo nervoso é um universo perfeito, em miniatura. É o plexo mais dinâmico de nossas emoções. No fundo, é quem governa todos os nossos desejos, e é coerente com a vida na Terra: vida, nascimento e morte. É condensado em células vivas.
Os plexos regulam os movimentos, sem participação do cérebro, automaticamente, por impulsos vindos dos plexos correspondentes. Os plexos influenciam o ritmo da vida psíquica, fazendo sempre as modificações quando se deslocam um sobre o outro. E isso acontece pelo desenvolvimento e pelas consagrações. O médium desenvolvido não deve ficar muito tempo fora da Lei de Auxílio, pelo perigo de adoecer. O trabalho e seus sentimentos são o que alimentam todos os casos do sistema nervoso.
O veículo do recebimento desta força armazenada no centro apropriado que é o plexo – emite também, nos órgãos internos, segundo sua necessidade momentânea, na concentração das forças centrífuga e centrípeda. Eis porque não tenho medo de mistificação destes aparelhos benditos de Deus. Seus bônus são luminosos porque fluem de seu plexo, que reserva, também o seu Sol Interior de suas três naturezas. Isto digo do Doutrinador e do Apara.
É reparado, filho, que as iniciações são bem diferentes: cada mediunidade é regulada à sua faixa, que são também as doze chaves do Ciclo Evangélico Iniciático, após receber o mercúrio significativo, sal perfume e mirra. Tal é a origem desta tradição cabalística que compõe toda a Magia em uma só palavra: Consciência! Traduzir este conhecimento é ter a chave e estar a caminho de Deus. E só nos colocamos a caminho de Deus no Segundo Verbo, que é a palavra realizada por Atos na linha do amor e na linha do desespero.
Por exemplo: eu estou no Segundo Verbo. Sou uma Agla. E só podemos nos dar o luxo de ser uma Agla quando temos consciência de todas as coisas e passamos pelas dores da Terra. Filho: no dia em que fui consagrada como Koatay 108, não tive tanta emoção, ou não foi igual, àquele quando do meu ingresso no Segundo Verbo Agla.
-Agla! Gritaram – Agla Koatay 108!
-Vou morrer! – pensei – Não é possível!
Tive medo da regressão, lembrando-me das palavras dos Sábios: - Não farás o que a Natureza não faz, e a Natureza não fará o que tu poderás fazer! Confiamos a ti todas as Iniciações dolorosas, e nos devolvestes obras em Atos. Pronunciamos cabalisticamente o nome Agla porque sofrestes as provas da Iniciação. Vire-se para o Oriente, porque tens o poder de três raízes na figura de Koatay 108, do Grande Morgano 108 – O Grande Talismã Morgano 108!
Sim, filho, mesmo as grandes Iniciações tem as suas regressões, às vezes muito maiores que as nossas. E na Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo – a única que eu conheço – e que não aceita interferência, há regressão, mesmo pela dor cármica. Ao Iniciado de Nosso Senhor Jesus Cristo não é admissível, no mundo cabalístico, dizer que cometeu desatinos levado por correntes negativas. Consciência é a palavra... Se a consciência falhar, entra no quadro de regressão, porém sem qualquer prejuízo do destino traçado aqui na Terra. Somente a esquizofrenia dá este direito, porque os esquizofrênicos recebem pelo seu triste compromisso. O esquizofrênico é atingido em seus dois sistemas: Cérebro-Espinhal, que serve as ações e movimentos controlados pelo perispírito, e o vago-simpático, que realiza as funções da vida vegetativa.
Somente os grandes cientistas voltam com este compromisso, para desafiar sua ciência sem a ciência de Deus. Porém, ainda não conseguiram, porque, sem Deus, o homem não se encontra senão com sua própria esquizofrenia. Em resumo: O Iniciado, que fez sua consagração consciente, só irá errar se for esquizofrênico. Estaciona, porém não regride. A regressão, repito, não tira nada físico e não muda o curso da vida. Apenas, perdendo a sua proteção, o mesmo sofre mais, uma vez que a proteção o vinha ajudando.
Chamamos desagregação de afeto à estabilidade da contínua renovação das células. A força de energia, força magnética, que muitos homens possuem em abundância para grandes curas e que, apesar de tudo que aprenderam, se deixam ficar em seu bem-estar, até que este potencial se acabe. Salve Deus, filho! Aos poucos vou mostrando os caminhos da Magia Cabalística.
Não reparem esta cartinha, se estiver confusa. Estou aproveitando as horas aqui no hospital, com o pensamento sempre voltado para o meu filho em Cristo Jesus.
Tia Neiva.
Brasília (Hospita
hospital santa lúcia-27/10/81

A TERRA DOS HOMENS PASSAROS



A terra dos homens pássaros

Salve Deus!

Meu filho Jaguar.

É com amor que eu faço esta carta, e sempre pedindo a Jesus que me esclareça ao seu lado, com a força para ser entendida. Filho, aqui temos a demonstração do verdadeiro significado da mente sobre o extra-sensorial. Governamos a mente e as emoções, alteramos, revolucionamos e modificamos as chamas vitais. Sim, filho, já nos desenvolvemos através das Sete Raizes. Tudo isso, parece filho, muito distante de teu alcance. A realidade é o Jaguar, que está trazendo para mais perto a visão de um quadro total. O Jaguar, o homem que foi individualizado em dezenove encarnações. Provamos sempre, que a doutrina, somente a doutrina, é a bagagem real deste mundo para outro. Porque filho, mesmo que eu viva com os espíritos, converse com eles, e entrasse em um disco voador, sem conhecer a sua linguagem, sem o amor de uma doutrina em Cristo Jesus, nada me iluminaria, senão a missão de um compromisso religioso.
Sim, filhos, não pensem que muitos cientistas já viram alguns fenômenos. Viram sim, viram mesmo, porém sem sabê-los analisar. Sem, amor ou sem querer baixar-se de seus velhos princípios, deixaram-nos de lado e foram cumprir o seu dever. Porém filho, nós não podemos criticá-los. Em uma de nossas vidas passadas já pagamos o nosso tributo. Foi no ano de 80, mais ou menos, quando uma linda tribo vivia na mais perfeita harmonia. Eram filhos do Sol e da Lua. Os grandes ensinamentos vinham por intermédio do grande Equitumã, vindo de Cristo Jesus. Eram espíritos individualizados, que traziam a sua linguagem espiritual. Esta tribo se deslocara de diversas partes deste universo etérico e extra-etérico, e aqui no seu mundo feito de pedras, eram vidas, vidas que andavam em busca das conquistas e levaram à frente a ciência dos Tumuchys.
Formavam uma poderosa tribo, com a experiência dos Ramsés e as comunicações dos grandes ancestrais. Formaram um poderoso sacerdócio. Numara, o grande sacerdote, enfrentava os mais árduos caminhos. Sua força mediúnica e doutrinária já dominava o poder magnético das cabalas e, sobre suas ardentes vibrações, recebia as constantes visitas dos Grandes Iniciados que, periodicamente, abençoavam aquele povo. Eram feitos grandes preparativos, e as grandes Amacês baixavam por ali e, à distância, falavam com voz direta e ensinavam, os poderosos magnéticos materializavam objetos – mantas lindas – e afastavam as feras perigosas que tanto assombravam aquela tribo.
Porém, o homem quanto mais tem, mais exige. Lindo! Lindo, é o que podemos dizer. Aqueles homens se amavam. Lindos casais se uniam pelas bênçãos das Amacês. Os homens daquela tribo, apesar de serem Equitumãs, Ramsés e audaciosos Cavaleiros Verdes, viviam cento e vinte e até duzentos anos. Tinham o prazer de ver seus filhos em harmonia. As Amacês ensinavam à união da família e o verdadeiro amor. Porém, Numara insistia em suas experiências. Queria que fossem normais os seus contatos com as Amacês, e era o mais teimoso dos sacerdotes. Sete Iniciados, com toda harmonia, guardavam aquele povo. As Amacês mandavam que todos saíssem de suas casas e, com riscos profundos e luminosos, deixavam tudo iluminado: as ruas, as montanhas, onde tivesse pedra. Dali se comunicavam por outros cantos e com outras tribos. Ali se avizinhavam muitas tribos.
Porém, Numara era a grande civilização de conhecimento eletrônicos, ou melhor, Nucleares. Com a graça das Amacês, foi tecido um macacão, ao qual se dava o nome de Anodai. Todo canalizado, voava pela energia do Sol e, deixando na cabine de controle, ali recebiam também sua rota. Menos sofisticado do que hoje, porém muito eficiente. Eram jaguares destemidos, eram homens-pássaros, que voavam e se entendiam por toda a parte da América. Em todo o continente, estátuas enormes e iluminadas destacavam a Terra dos homens-pássaros. Tudo era de acordo com as Amacês. Nada mais posso dizer, filho, sobre o que aquela gente fazia. Porém, Numara já estava velho e não ensinava sua ciência. Também, esta tribo sempre foi displicente, principalmente naquela era. Vinham recentemente, de um mundo de agressão. Sim, filho, água e areia: faziam formas e as enchiam com este material. Secavam com a energia atômica, a ponto de fazerem grandes estátuas de seus sacerdotes. E por baixo das mesmas, guardavam seus objetos de voar. Eram tubos, tubos fininhos, que guardavam todo o magnético atômico, que lhes cobria o corpo. Foi uma grande metrópole, mística e de um povo refinado.
Porém, Numara tinha como única preocupação tirar o que mais pudesse das Amacês, apesar de muito as amar e respeitar. Era um dia de festa, e todos anunciavam os festejos. Era uma noite de luar, na triste noite nefasta. Os raios se desencontraram, desintegrando tudo o que fosse vida. Foi uma triste experiência. Depois filho, nas aulas, vou explicando os “porquês” desta ausência dos aparelhos de Capela. Não é possível atravessar o Neutron sem que haja o perigo de explosão. Aos poucos, tudo se cumpre como Deus quer!
E, pelos olhos que entreguei a Jesus e pela verdade, fiz esta carta, com amor em Cristo Jesus.
Com carinho, a Mãe em Cristo.
Tia Neiva.
Vale do Amanhecer, 21-11-81.

A CONDUTA DOUTRINARIA DO MESTRE LUA



MEU FILHO JAGUAR,RAIO LUNAR
Sabemos que nossas vidas são governadas pelos nossos antepassados e que tudo vem do princípio doutrinário que nos rege. A vontade tem sua origem na sensitividade, com predominância na fonte de energia que nos dá a faculdade da inteligência, na consciência animal que se transforma na sensibilidade Cristã, a consciência espiritual. Sim, filho, a consciência espiritual. Aparelho anímico ou material psíquico, constituído pela memória, atenção, percepção, compreensão e cristianismo, sempre iluminado pela razão. Em ti, filho, refletimos todos os atos da força Absoluta que vem de Deus Todo poderoso. E para condenar sem precipitação o teu comportamento é o único sentimento a ser julgado. Você, filho Jaguar, Raio Lunar, é a própria revelação. Sim, muitas vezes um aparelho em sua conduta moral, agasalha um espírito das trevas, dando-lhes oportunidade a ser gente, isto é, segurando suas terríveis e pesadas vibrações, e com amor, o deixa falar ou promover um diálogo com o Doutrinador. Filho, muitas vezes, eu, tua mãe Clarividente, vejo muitas oportunidades perdidas em feroz Exu, que por falta de um diálogo poderia voltar para Deus. No entanto, só diz heresias, por falta do bom comportamento do “sensitivo”. Filho, todos nós precisamos de carinho e eles, apesar do seu endurecimento, são carentes de amor. Eis a razão do Doutrinador, em Cristo Jesus, sabendo conduzir o anjo e o demônio, em sua conduta Doutrinária. É assim filho, um aparelho sensitivo espiritual pelo qual as forças extras sensoriais se manifestam, por conseguinte, você é o próprio poder de justiça, se engrandece ou se condena. Sim, a consciência fecha o ciclo evolutivo da força psíquica sensitiva. Então, filho, com um pouco de reflexo poderá concluir as mensagens e se souberes colocar esta candeia viva nos mais tristes recantos da dor, mais uma vez poderás aliviar e esclarecer os incompreendidos. Tanoaê, filho, é um poder que emite sua força no vento nas tempestades. Tanoaê tem poderes de manipular forças, abrindo o Nêutron para levar sua mensagem e fazer a sua reparação. Não é justo filho, depois da incorporação, ficar em dúvida, será que incorporei? Será que foi o Preto Velho ou o Caboclo? Não foi somente uma impressão minha? É triste para os nossos Mentores que se apressam para que saia tudo com a precisão do Espírito da Verdade.

Trata-se de um conjunto, de um rito de aparência de encantos, de energia. Não podemos designar este sentimento de amor. É o coroamento das virtudes, é muito mais científico do que pensamos. Quando solicitando a uma incorporação, uma enorme e complexa força se faz em nós. Seriam bastante, os cruzamentos destas forças para a cura desobsessiva, quanto mais, que sabemos da presença de Caboclos e Pretos Velhos.

Filhos contamos ou marcamos uma história que o velho mundo ensinou, quando surgiu o cristianismo. Subiram os Deuses Alexandrinos e o Mitra Solar para combater a adivinhação, os adivinhos, porque além de sua magia, formaram um grande comercio, e a religião, não sobrevive ao lado dos adivinhos, dos magos ou Pitonisas. Condenam-se os adivinhos porque predizem sem intervenção Divina. Muitas vezes filho, pensamos que somos obrigados a dizer o que exige a vossa real intuição; não filho, absolutamente, a profecia ou adivinhação é algo muito perigoso. A nossa obrigação em Cristo, na Lei de Auxílio é procurar, pois, a nossa luz íntima, oferecendo, aceitando e confiando o máximo de nós sem nada pedir em troca, isto é, nem mesmo a vaidade pelos fenômenos que somos portadores.

Estamos no caminho dos homens, e por isto, nós devemos nos guardar de cada ser, de cada coisa. Uma expressão diferente para fazer luz desde as manifestações dos humildes dos planos inferiores desta natureza em sua feição divina, porque até o mar profundo sabe agasalhar sua natureza. Sim, a função do duplo é servir como condutor e condensador de energia e de emanações ectoplasmáticas entre perispiritual e o físico, é um processo no centro de forças que denominamos chácaras. Neanze, uma rica pitonisa que estarrecia a todos, a sua força, seu poder de qualquer forma era eficiente. Sim, ainda se falava em Amom-Zeus por todo Egito. O Oráculo de Amom-Zeus. Neanze era uma das Divinas, após curar o filho de um Thunis, fez uma adivinhação: preconizou a morte de sua escrava preferida. Thunis ficou furioso e esperou o dia fatídico, porem a escrava não morreu naquele dia. Então Thunis esqueceu do que recebera e pensou: foi fatalidade que decidiu a cura de meu filho, e acusando-a de impostora mandou mata-la. Três dias depois sua escrava morreu também, porém, seu filho foi feliz e nada lhe aconteceu. Thunis foi infeliz por toda sua vida. No entanto, tudo era tão lindo antes da adivinhação. Sim, filho, não te preocupe se o teu mentor não é adivinho. Partimos filhos para os curadores ou curandeiros; não são médiuns Aparas, ou são e não desenvolveram e fazem suas curas pelo canal de emissão que Deus lhes proporcionou, pagam na maioria das vezes os velhos débitos pelas críticas, observações maldosas dos que são curados. A percepção é algo perigoso; o médium que tem a faculdade de percepção vive sempre triste por suas percepções. Eu, com toda minha clarividência, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, sofro por não saber assimilar uma visão. Filho, para ser um verdadeiro medianeiro, viver emitindo a voz direta do céu, é preciso única e exclusivamente a sua conduta doutrinária, ao lado do seu Mentor, para sustentar a sua emissão.

Sim, filho, no desenvolvimento recebe a sua emissão. Emissão é um canal na linha horizontal, que capta as forças que atravessam o Nêutron. O médium desenvolvido é responsável por dois canais de emissão que se cruzam e ligados em seu interoceptível, formando seu equilíbrio na conduta doutrinária, se vê o poder que levanta em um Mestre Lunar. Observe também que o simples Apara em força ou emissão menor, também tem suas emissões diretas. Mestres iniciados, o médium que não tem suas emissões em heranças transcendentais, esta sempre em desequilíbrio. Sim, o interoceptível é como uma balança onde a nossa cabeça é o fiel desta balança, pesando só terra, entra em desequilíbrio.

Salve Deus, meu filho! Que Jesus nos ilumine nessa jornada. Com carinho, a Mãe em Cristo.

Vale do Amanhecer, 08/04/79.

CARTA DAS FORÇAS




Carta das forças

Meu filho Jaguar.

Salve Deus!

Nossa vida é uma grande jornada onde as dificuldades, constantemente nos abalam. Filho continue a lutar, porque só cai aquele que não está seguro em si mesmo. Continue filho a lutar, certo de uma coisa, só são derrotados os que acreditam na derrota. Conserve a tua liberdade, respeitando a liberdade dos outros. Não te esqueças, também, que você é o seu maior valor, a sua maior fortuna. Se você estiver preso por pensamentos negativos, de nada valerá toda a riqueza do mundo, toda a felicidade possível. Tens uma missão a cumprir, explique ao mundo o caminho que o homem deverá tomar mesmo ao mais íntimo ser que Deus te confiou, principalmente se ele ainda vive em teu teto, junto a ti. Sejas confiante, emane a tua força doutrinária para que seja completa a tua doutrina. Não deixe, não siga, ficando alguém a sussurrar outra melodia junto a ti. Não ti esqueças que a tua doutrina é uma força poderosa que uma vez desenvolvida, permite a realização de todos os seus anseios e que, desenvolvida esta faculdade, terás também, condições de modificar a sua natureza, vencer todos os obstáculos, dominar a matéria até vencer a morte.

Procure confortar os infelizes, os incompreendidos, mesmo que estes estejam contra você. Seja prático e não se afaste das metas racionais, nem queira obter resultado do seu trabalho e sua caridade. Procure amar a vida em todos os ângulos, faça do que te resta deste Terceiro Plano o mais agradável possível. Procure prolongar a sua existência, aproveitando o melhor possível, sempre em fins respeitáveis, não se esquecendo também, que não há condenação para o pecador e, sim uma reparação dos seus erros. Ser humilde é ser amor. Ser humilde é ser manso de coração, é ser tratável.

Toda filosofia exige a humildade de tratamento principalmente àqueles que precisam de nossos cuidados. Vamos falar das forças existentes. Filho o homem pelo equilíbrio de sua ORBE, tem condições de atrair forças incomparáveis nas suas manifestações: sujeito em sua conduta doutrinária a conduzir Força Mediúnica, Força Direta, Força Negativa e Forças Cruzadas. A Força Cósmica, força que normalmente se conduz na Lei de Auxílio, comum a Lei Espírita. Vem também a Força Absoluta, a Força Nativa Absoluta e Força Nativa Absoluta de Herança.

Podem ser emitidas de diversos planos sem que se dê conta de onde elas vêm. Uma prece que se emite com palavras ou estilo Iniciático pode-se receber, no caso, uma Força Absoluta Nativa. A simbolização do pensamento vai refletindo e formando no Nêutron, formando também um estado de consciência, aonde sua própria força ou conduta doutrinária, vai conscientizando cada vez mais, formando um circulo no interoceptível, onde a própria emissão ou canal de emissão leva para onde for preciso. Se estivermos na Lei de Auxílio, vão para os hospitais, presídios, digo, na dor.

O homem cria a sua própria imagem e vive os seus pensamentos, evolução, significa, acima de tudo, o poder criador. Todo cuidado é pouco. Devem cuidar sempre na individualidade. Não se esqueça filho, que as forças se impõem em nós. Sim, as forças se impõem em todos os sentidos. Basta dizer que uma proteção, uma proteção generalizada, como chamamos, é uma corrente magnética que se equiparando as nossas, entra em aniquilação para decompor a corrente magnética animal que esta atuando em desarmonia.

Dizemos: - Deus está comigo e, então, não temo nada! É neste instante que há uma razão. Uma pessoa religiosa recebe realmente, esta espécie de proteção. A proteção é aplicada a todas as vidas deste planeta, até o animal se liberta de suas enfermidades. Sim, filho sei que a sua cabecinha é pequena, porém pense bem: o que é a compreensão da morte? Resulta do que entendemos da vida. Todos os que se perdem pelo pensamento, se prendem pela vida. Convém insistir contra a violência de nossas mentes. A ciência social de hoje, ensina o nosso desenvolvimento, porém, antes, deveria ensinar ao homem se libertar dos seus pensamentos. Uma mente livre, um homem livre de pensamentos. Não se cruza uma força. As forças dificilmente se cruzam. Sim filho, uma força cruzada... Salve Deus!

Eu conheci uma certa senhora por nome Calú, que era macumbeira e ninguém brincava com ela. De fato fui acompanhá-la... Era perto da UESB. Foi feito uma matança de bicho. Foi uma coisa tão violenta que eu, de um canto, tive medo. Contei na UESB o que vira e tive o resultado. Disseram que um certo fazendeiro que se candidatava a Deputado Estadual queria abater o seu adversário. Fiquei muito impressionada e fui, voluntariamente, conhecer o paradeiro da vítima. Soube e o encontrei. Qual não foi a minha surpresa. Ele estava apenas com uma força esparsa de um cruzamento. Dez dias depois, os animais estavam amarrados nas árvores, ainda intactos. Mais de dois bodes pendurados nas árvores e outros bichos, que não sei bem, agora no momento, estavam secos, não tinham cheiro, nem nada. Era apenas uma força esparsa, ou melhor, um cruzamento esparso.

Cruzamento, força cruzada na macumba, é realmente grave, muito grave. Pelo simples descuido nos Templos, pegamos uma força esparsa. A força cruzada é algo delicado em todos os sentidos. A força que não se cruza é a Força Absoluta, projeta forte, de poder simplesmente objetivo. A Força Cruzada dos Caboclos com os Pretos Velhos é curadora e desobsessiva. Se houve um descuido ou desrespeito eles em vez de projetarem na sua necessidade, ela fica em torno dos seus caminhos, tomando conta de sua visão e poderás sofrer por um longo tempo, porque ela passa a alimentar os seus elítrios.

Salve Deus! Sendo cruzada pelos exus, tudo mal, não preciso explicar. Se recebermos uma força cruzada por exus e tivermos bem assistidos pelos nossos Mentores ela muito pouco poderá nos aborrecer. Os fenômenos dos quais falamos são forçados por amor ou por desespero. Passamos a falar nas forças existentes, sendo que de qualquer maneira, fica intacta a experiência acima. As forças se dividem, só não podemos é pesá-las, ou melhor, calcular o que vem quando envocamos. As forças são um conjunto de magnético num rítimo acelerado, conduzido num “balet” de luzes, aonde as grandes Cassandras levadas pela força de Morsa, o “Vento” vão se aninhando onde lhe convém.

Salve Deus, meus filhos, vejam aonde podemos chegar. Nesta pequena carta, quero que pensem e analisem o quanto suas mentes puderem.

Com carinho, a Mãe em Cristo.

27 de out de 2012

TRONO MILENAR




TRONO MILENAR

Salve Deus!
Muito embora, já havíamos falado sobre esse assunto, vamos tentar falar sobre o mesmo, mas sempre procurando uma abordagem simples porém, que possa auxiliar aqueles que procuram esse trabalho em nossos templos.
Por tradição cristã, sempre nos disseram das características dos seres que habitam o que denominam de paraíso e inferno. São duas categorias completamente diferentes. Enquanto um , promete uma local onde o louvor a Deus é uma permanente o outro já descrito como um local onde o fogo pungente arde por toda a eternidade.
A Doutrina do Amanhecer, que é baseada no espiritismo, sem portanto seguir suas linha e ideias ortodoxas, nos mostra uma linha de continuidade, onde a renovação e o processo evolutivo das individualidades que nos rodeiam apenas mudam de dimensão e habitam mundos ou dimensões cuja tônica vibratória será similar ao padrão evolutivo que conquistam ou estejam.
Sem fugir ao principio cristão do perdão nos colocamos numa linha de cura espiritual, acreditando que as células dessas individualidades preservam suas características básicas assim como, o aspecto transcendental de suas consciências ficam plenamente ativas mesmo após várias idas e vindas ao mundo espiritual. Sua formula química ou estrutura são melhoradas, quando forças mediúnicas ou espirituais se cruzam proporcionando uma espécie de ajustamento de suas células normalizando assim o corpo espiritual dessas individualidades promovendo assim a cura espiritual ou desobesessiva.
Neiva Chaves Zelaya, a Tia Neiva , nascida em Propria Sergipe, em 1925, nascera com a proposta de formar um núcleo doutrinário , cujo objetivo seria de reunir espíritos veteranos para a transição que começou em 1984.
Dessa formação resultou um conjunto de ritos,agregados a cânticos,preces, que nós conhecemos como Corrente indiana do espaço e correntes brancas do Oriente maior, ou simplesmente Doutrina do Amanhecer.
A Doutrina do Amanhecer é o mais completo conjunto de rituais que contam com uma força iniciática implantadas com o propósito maior de curar os espíritos, ou seja cura desobesessiva . Com rituais específicos para todos os níveis evolutivos dos espíritos, conta com rituais voltados para espíritos recém desencarnados, assim como espíritos que se encontram presos em dimensões formadas por espíritos extremamente inteligentes que desencarnaram com a idéia de Deus, porém de uma forma diferenciada fugindo aos moldes dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus cristo. Formam legiões, existindo até mesmo universidades nessas dimensões cujo objetivo é o estudo da biogenética humana, assim como, a atuação sobre nossos políticos. São verdadeiros cientista do mundo negro, cabe aqui uma ressalva, mundo negro quer dizer um mundo os objetivos fogem da luz crística. Nessas dimensões que costumam estar próximas a crosta terrestre ,o elemento de condução ou alimentação é ectoplasma ou plasma da vida, oriundos dos seres vivos.
Partindo dessa explanação Tia Neiva através dos executivos espirituais de nossa doutrina , criou um ritual que por sua condição e vibração energética ,também mantido ou assistido por Mestres cuja formação já tivesse em um nível quântico de força experiência mediúnica fosse equivalente ao padrão vibratório desses espíritos., assim nasceu os Tronos Milenares.
Então o trabalho de Trono milenar é voltado para a assistência de espíritos que estão no espaço por muito tempo, sua condição é diferenciada, conhece as técnicas de manipulação mediúnica das mais diversas fontes e natureza, tem pleno domínio do evangelho redigido, assim como conhece as religiões e suas formas de atuação, conhece os meandres dos poderes estabelecidos na terra através de seus governantes. Por essa razão na realizam cobrança a um individuo, mas sim a uma coletividade, a um grupo.
Em uma áudio de Tia Neiva, ela afirma categoricamente que um espirito que “baixa” no Trono milenar, pelos dos olhos dela “não pode baixar nos tronos vermelhos ou amarelos”! Não há passagem de cobrança individual, não se passa cobrador nos Tronos Milenares.
Alguns Doutrinadores tem perguntado qual é a forma de dialogo com um espirito que ali se manifesta. A resposta Mais próxima da verdade é sinceridade de propósito, uma conversa franca e aberta...Esclarecedora onde os dois lados se respeitam. È importantíssimo compreender que um espirito que está no espaço há muito tempo, dificilmente vai sair desse trabalho aceitando por completo a doutrina.Também como no Angical, uma grande parte dessa doutrinação acontecerá no espaço.
Importante: Em nossa doutrina não há os famosos acordos que esses espíritos costumam oferecer. A função Doutrinador é deixar que ele fale, haja a troca de fluidos, o magnético animal oferecido pelos mestres que ali estão é tremendamente importante para aquele espíritos. 
É importante saber que:
Nossa doutrina não aceita demandas.
Não remarca outros trabalhos como sete isso, sete aquilo.
Esses espíritos podem incorporar com as mãos abertas.
Esses espíritos podem e mentem...Tem essa liberdade.
A sinceridade de proposito prova que és um Doutrinador(Tia Neiva)
Esses espíritos são tremendamente inteligentes.
Quanto mais falarem , mis troca de fluido haverá.
O Doutrinador que faz a limpeza, se possível, não interfira na doutrina.
Não há abertura formal ou oficial...
Seja um jaguar de coração e consciência livre e justa.

Espero ter ajudado
Gilmar
Adjunto Adelano

25 de out de 2012

Natureza e finalidades




Natureza e finalidades
Meu filho Jaguar, Salve Deus!


Sabemos que cada época tem sua missão própria, no caminho da evolução, com determinadas finalidades a atingir. Sabemos, também, filho, que nos custam caro as críticas e na vida cotidian
a este nosso estilo já é ultrapassado. Por outro lado, sofremos o dever e temos de estar à frente e atentos, porque novos conceitos e novos tempos de vida avançam e nos atingem. Às vezes paramos para fazer uma reflexão. Não temos este direito, é o mal...

Sim, filhos, a remontagem agora é forte e verdadeira, porque somos cabalistas de uma estrutura espartana. Temos um sacerdócio egípcio contido e purificado por Moisés, oculto sob o simbolismo da Bíblia velada e contida, atingindo o Apocalipse desse apóstolo. Sofre o cabalista pelos companheiros supersticiosos e tudo que lhe pareça idolatria, porque formamos em Deus na figura humana, mas é uma figura puramente hieroglífica. Deus nas estradas, no céu, no mar, nas paredes de sua casa, Deus como um infinito, o amante vivo da natureza e no coração do homem...

Como seria a Terra? No entanto, filho, são poucos os homens jovens como vocês que se destinam a uma nova era. Quem poderá me ouvir?

Nesta carta saliento que o rastro do homem remonta em cada continente deste universo, mais longe do que a própria história, ida e vinda do eterno. No curso que fazemos na senda da reencarnação, devemos procurar a Ciência e o Amor.

Sim, filho, a água das fontes, dos lagos, dos rios, das chuvas e dos mares. A água analisemos: água igual à água. Sim, filho, a água das fontes tem sua energia, dos lagos e dos rios são diferentes, como é diferente, o sabor das bebidas sintéticas das frutas. Tudo é amor em diferentes sentimentos: o amor das crianças, o amor da mãe, o amor dos amantes e o amor incondicional.

O corpo físico não gera a vida ou a força neste plano físico. Sim, porque das nascentes surge o prana. A presença Divina se manifesta emitindo o prana por todo este universo.

Tua Mãe em Cristo Jesus,

Vale do Amanhecer,25 de março de 1984.

VALE E MAÇONARIA...








VALE   E  MAÇONARIA... 

pra tirar qualquer duvidas para aqueles que dizem que nao e cruzamento de corrente nossa mae clarividente nos alerta e AFIRMA que é sim cruzamento de corrente

'Meus filhos, é um equívoco que vem sendo ampliado por uma idéia falsa é com os maçons. A Maçonaria envolve aspectos da mediunidade, faz consagrações, para a caminhada de seus seguidores, que incluem manipulação de diversas forças espirituais. Definindo de forma simplificada, a Maçonaria é secular sociedade secreta, de caráter iniciático, que reúne seus membros para fins altruístas sócio-econômicos e culturais. Muitos ingressam pelo apoio material que a irmandade concede às famílias, esquecendo-se dos compromissos que no plano espiritual são contraídos. Para o maçom, caso queira entrar na Corrente do Amanhecer, é necessário tornar-se membro “adormecido” da Maçonaria, para então trabalhar na nossa Doutrina. O trabalho nos dois lugares caracteriza o cruzamento de corrente.

“Meus filhos, eu quero que vocês evitem freqüentar casas que não são suas, isto é, igrejas e templos,doutrinas ou organizações de outros princípios doutrinários. Terreiros!... Evitem, meus filhos, porque, quando chegar a hora, ninguém vai lhe acudir. O terreiro é bom para quem o dirige, para quem é filho dali, é muito bom. Eu não estou desfazendo dos terreiros! Eu gosto dos terreiros e me dou bem com as pessoas que são de lá – os dirigentes, os médiuns, é tudo muito bacana. Mas, não fiquem cruzando forças! Vocês vão a um terreiro em busca de acertar as suas vidas materiais. Será que conseguem? Se receberem algo, como será no momento do resgate?

Nas nossas preces, nos nossos trabalhos, vamos pedir por nossa vida material. Se estiver com alguma carga negativa, trabalhe que se livrará desta corrente. A vida material não precisa nem de trabalho nem de terreiros. Quando estamos assistidos por esta Espiritualidade de Luz, nada nos falta!” (Tia Neiva)
la de 21.12.80)

19 de out de 2012

OS CAMINHOS DA DOUTRINA DO AMANHECER



Os Caminhos da Doutrina do Amanhecer Salve Deus! Meus filhos jaguares: Explica-se a diferença entre a velha estrada e o novo caminho. A velha estrada é cheia de medo, de temor a Deus. A velha estrada foi palmilhada por mil pessoas, mil teorias sempre escrita e nunca praticada, enquanto o caminho foi traçado pelo suor, pela própria energia de quem o escreveu e vive a emitir com tanto amor. Vamos sentir o caminho do Amanhecer sem superstição e sem as teorias dos pensadores, pela vivência na prática, na execução desta doutrina e seus fenômenos extra sensoriais. No respeito da dor alheia, no carinho dos humildes, no afeto das ninfas, no progresso e na compreensão de nossa família. Este é o caminho traçado para o homem na doutrina do amanhecer. Quem diria que naquela era distante, os Enoques levassem tão alto esta filosofia, esta corrente. Sim, Pai João o mais velho, observava com mais precisão o desenrolar das vidas nos carmas. Suas preocupações aumentavam, enquanto Pai Zé Pedro filosofava, reclamando de vez em quando. Os dias passavam sem qualquer anormalidade, isto é, sempre com fenômenos que ali já eram corriqueiros. Porém só Deus sabia como e aonde chegaria. Dias alegres, dias menos alegres, porém sempre em harmonia até que as forças foram materializando e tudo começou a ser mais verdadeiro, mais preciso. Pai João se inebriava com todos aqueles fenômenos e estava sempre a espreita dos mínimos acontecimentos, cochilando sempre debaixo de uma pequena árvore. O pequeno arraial estava tranqüilo quando Pai João, em um de seus cochilos, viu um finíssimo fio magnético entrando em uma das cabanas e, ao mesmo tempo, ouviu o grito desesperado de alguém que fora atingido. Era fenômeno mediúnico puramente espiritual. Era a jovem Iracema que rolava de dor na espinha, como se tivesse levado uma pancada. Pai João correu e fez uma elevação tirando-lhe a dor. Começou então a pensar que ele nada havia enxergado e, no entanto tinha certeza de ter visto aquele fio saindo da cabana do feitor. Chamou Pai Zé Pedro, contou o que vira e os dois começaram a ter medo da situação. Nisto Jurema manifestada por um caboclo, começou a dizer: - Meus filhos! Tomem cuidado, este feitor é o instrumento feliz de evolução. O pobre infeliz vive ainda pelas mãos caridosas de Sinhá Sabina. O fenômeno foi visto por vosmicê João, para que tome cuidado. – Como. Perguntou Pai João. Ele vai entrando em transe e sua alma ruim, odiosa, pega a quem ele mais ama ou odeia. Salve Deus! – Disseram todos de uma vez. – E eu que pensava que somente os desencarnados atuavam... – Sim – continuou o caboclo. Estão em uma jornada para o desenvolvimento e até que passe todo o carma da escravidão. O homem será feliz quando houver a libertação, disse Pai Zé Pedro. Não, continuou o caboclo, o homem jamais se libertará, e dizendo isso deixou Jurema e se foi. Todos ficaram sem entender nada. Jurema entendeu e saiu correndo dali para a cabana do feitor, decidida a falar com ele e dizendo que iria matá-lo, quando Pai João interferiu dizendo: - Jurema, a concepção da morte resulta de um entendimento da vida completamente errado, porque na verdade ela jamais existiu. O espírito não morre, então irá mil vezes nos atentar. Matando-o, ele ficará mais leve, mais sutil. Todos os que se perdem pelo pensamento e se enchem de ódio ao serem desencarnados e no astral inferior evidente, voltam sendo mais comuns as suas crises furiosas. Vamos Jurema, tentar doutrina-lo antes que morra e se torne invisível aos nossos olhos. Chegando à cabana do feitor, ele estava esticado numa cama de varas e capim. Sabina veio ao encontro sorridente e o feitor começou a espraguejar e Pai João a lhe fazer doutrina, porém com medo de Jurema que observava com seus olhos verdes amendoados, disse escapando dos seus lábios: - Pobre imperador! Viestes com tão nobre missão, no entanto eis o que restou. Pensa Eufrásio no que te digo. Vou levar Jurema e voltarei. O dia estava terminando, quando Pai Zé Pedro e Pai João se encontraram e se entenderam. Pai Zé Pedro deslumbrado ficava repetindo: - Irradiação dos encarnados se desprende do corpo e se manifesta com a mesma leveza do espírito dos mortos, repetia. Nisto um grito e em seguida, gargalhadas. Pai Zacarias caira na cachoeira e estava molhado, porém nada lhe havia acontecido, senão o susto. Coisa desta espécie acontecia sempre. Sim, esta alegria durou pouco, chegou o feitor da fazenda onde Juremá vivia. Todos se assustaram com o visitante. Ele chegou arrogante e já ia pegando Juremá, quando Tomaz gritou: - Larga porco imundo, aqui é diferente! Nem tente, porque você vai morrer. O feitor esporeou o cavalo e marchou para cima de Tomaz, que num minuto já estava por cima esmagando o seu estômago. Quando Pai Zé Pedro e Pai João chegaram era tarde demais. Tomaz já estava morto. Os gritos de todos faziam terror naquele lugar. O feitor foi fugindo, levando Juremá. Era grande demais aquela dor, ninguém se lembra do feitor assassino e nem de Juremá. A morte de Tomaz veio trazer tanta tristeza, que mudou a sintonia do lugar. Os nagôs não falavam e não cantaram mais, nas fogueiras riam algumas vezes, porém continuava a harmonia. Começou então os projetos para buscar Juremá. Tomaz fora quase criado com Pai Zé Pedro. Três Nagôs que muito amavam Pai Zé Pedro, resolveram buscar Juremá e calados sem que ninguém soubesse,fizeram uma matula na mochila e lá se foram sem os outros saber. Jurema viu na sua vidência. Pai João sentiu tudo, porem todos se fizeram de desentendidos e ninguém impediu os três Nagôs. Jurema não olhava Pai João e nem Pai Zé Pedro, ainda viviam o espírito de vingança pelo seu querido Tomaz. Realmente! Chegaram Joaquim e Cassiano com Juremá. Novamente o reboliço. Juremá não falava, perdera a voz. Todos queriam saber o que houvera, porém ninguém dizia nada e também ninguém tinha coragem de perguntar nada. Todos em volta da fogueira e só se ouvia o murmúrio da cachoeira. Ninguém tinha mesmo coragem de quebrar aquele silêncio. De repente Jurema deu uma risada e Janaína foi para perto e as duas se abraçaram, porém Jurema com uma atitude que não era dela. Salve Deus! E chegando Joaquim e Cassiano: - Porque fizeram isto? Mataram o feitor e o seu sinhozinho. Isso não é de um filho de Deus que esta a caminho. Terás que voltar e receber como filho o feitor e tu Cassiano, terás o teu sinhozinho também. A estas alturas Cassiano e Joaquim já sabiam o que Jurema queria dizer. – Me perdoe bom espírito, disse Joaquim; porém aquele malvado matou o nosso Tomaz com sua covardia. Cassiano perguntou também se poderia continuar vivendo ali. – Sim, disse o espírito em Jurema. Deus não tem pressa. Cada um aqui assumirá a sentença ou libertação. Jurema enchia de cuidados por Juremá. Tão logo terminou a incorporação, cada um voltou a seu estado de alma. Uns foram dormir, outros ficaram ali na fogueira, até novos gritos. Meu Deus! Novamente o fio magnético. Novamente Iracema atingida pelo feitor Eufrásio. Tudo de novo, correrias até que Pai João liquidou com uma elevação, porém não antes de muito trabalho. Os dias decorreram e notava-se que Iracema cada dia ficava mais pálida, com ar de doente, tudo ia de mal a pior. Certo dia fizeram uma vidência para saber o que deveriam fazer com a pobrezinha, vovó Cambina, vinda da Bahia para tirar o quebrante dos filhos da sinhá. Estando na sessão naquela noite, preferiu seguir os seus irmãos naquela jornada. Vovó Cambina da Bahia rezou, Iracema com seus passes magnéticos foi melhorando e da maneira que ia se fortalecendo, ia também adquirindo forças para repelir. A estas alturas as coisas já haviam tomado um vulto muito sério. Ninguém se lembrava mais de Tomaz, toda concentração agora era no feitor Eufrásio. Faze-lo seu amigo, antes que ele os atingisse. Sim, Pai João explicou que se doutrinassem ele deixaria de atacar com seu magnético. O feitor passou a ter constantes visitas e realmente foi melhorando, a ponto de chegar a pedir perdão muitas vezes. Eufrásio passou a ser o confidente daquele povo. Sim, Eufrásio fora um grande senhor que perdera a sua fortuna e família no jogo e fora obrigado a tomar aquele lugar do feitor naquela fazenda da tragédia. Mais uma vez o homem se liberta por si mesmo. Pai João e Pai Zé Pedro estavam sempre a ensinar a sua doutrina, seu amor e ele ensinava também o que sabia dos seus mundos de onde andara. Vovó Cambina da Bahia lhe rezava todos os dias e a vida apesar de sua harmonia, só agora voltava ao normal das entoadas das fogueiras alegres. Estavam todos sentados, quando ouviram um barulho no mato, como se fosse uma boiada disparada quebrando tudo. Cada um carregou suas espingardas e se entrincheiraram. Eram porcos selvagens, porém passaram por fora e os Nagôs ainda mataram mais de vinte, fazendo fartura de carne. Pai Juvêncio e Zefa eram os únicos que tinham coragem de ir até um lugarejo por nome Abóbora. Chegando na entrada da cidadezinha, viu uma menina nos braços da mãe meio desacordada. Chamou Zefa, cochicharam nos ouvidos e benzeram a menina, isto é, tirou o espírito e a mesma ficou boa. Tânia, a mãe da menina deu algumas frutas como pagamento e se desculpando por não ter mais nada. Juvêncio e Zefa comeram as frutas, trataram dos negócios e se encaminharam para casa. Felizes chegaram em casa, porém quando pisaram a soleira da sua porta deu uma enorme dor. As barrigas começaram a doer, doer a ponto de chamar Vovó Cambina da Bahia. Nada fazia passar, uma porção de conjecturas. Seria veneno? Porém as desinterias pioravam e por incrível, eram os dois. – Pobrezinhos, dizia Pai João. Resolveram tantas coisas boas para nós! Deve ser provação, Deus testando seus corações. Todos já estavam na fogueira e queriam notícias. Nisto Jurema que estava ao lado de Pai Zé Pedro, se levantou bruscamente, apontando para os dois que estavam abaixadinhos na roda da fogueira, gemendo de dor. Disse: - Eles comeram prenda, ganho pela sua caridade. – Como? Disse Pai João. Pena Branca não quer que a gente ganhe nada em troco do que faz. Sim, Vô Agripino também disse: - Agente só aprende com o espinho na carne fincando. É Pai João, todos nós temos um espinho na carne. – Oh meu Deus! Gritaram de uma só vez. Sim, estamos conscientes. Graças a Deus, Vó Cambina já estava chegando com a cuia de chá e eles após tomarem, contaram o que havia passado, todos abraçaram os dois por sua ação. Sim, era coro. Juvêncio e Zefa comeram prenda da caridade que fizeram. Sim, receberam pagamento e o Pena Branca não gosta nem de presente nem que cobre. Zefa e Juvêncio ainda passaram mais uns três dias de dor de barriga. Tudo foi alegre e passou. Eufrásio, que agora era conselheiro do grupo achou também muito importante. Primeiro as frutas que Pena Branca não aceita paga pelo seu trabalho mediúnico e segundo a denúncia de Jurema que em sua clarividência viu o que se passou. O pobre casal fora lesado pelas suas mentes preguiçosas. Tudo estava espiritualmente pronto. Pai Zé Pedro e Pai João se regozijavam da situação. Zé Pedro sempre perguntava: -O que será de nós? Aonde iremos? O que será de nós? Não seria melhor sairmos, em vez de esperar o mundo aqui? Eu já não suporto mais. Oh! Meu Deus! – Zé Pedro! Quando o celeiro está pronto, o mestre aparece, palavras de Vô Agripino; disse Pai João. Pai Zé Pedro, Pai Lourenço, Pai Francisco e muitos outros dos setenta membros daquele grupo estavam inquietos, exceto Pai João e Eufrásio o feitor, que firmes em Vovô Agripino estavam calados. Nesta manhã Jurema avisou a Pai Zé Pedro que chegaria muita gente para curar. Os Nagôs se reuniram e se entrincheiraram para recebê-los. Sim, já estavam ali há dois anos. – Lá vêm eles, lá vêm eles. Lá embaixo, lá vinha uma enorme fila, só se ouvia gente correr para esperar os chegantes. Zefa e Juvêncio reconheceram a mulher da menina e gritou: - Jurema, Pai João, Pai Zé Pedro, são gente em busca da caridade. E perguntando baixinho a Pai João: - Não tem perigo da minha barriga doer? – Não, respondeu Pai João. Foram chegando e enchendo o ambiente. Que maravilha, todos estavam felizes, a felicidade do missionário de Deus! Foi lindo. Suas curas desobsessivas, o amor, a dedicação de toda aquela gente. Meu filho, eu gostaria de contar mais desta história. Porém Manoelzinho, 7º Raio do Adjunto Yucatã não deixa, porque ele é também um personagem da cachoeira do Jaguar. E voce meu filho, procure se encontrar também. Com carinho, a Mãe em Cristo. Tia Neiva. Vale do Amanhecer, 07-03-80.

9 de out de 2012

VIDEO

ESPIRITISMO E VEGETARIANISMO





ESPIRITISMO E VEGETARIANISMO

Este artigo  de Leandro Martins foi publicado na Revista "Espiritismo- Filosofia- Ciência- religião), Editora Eclipse-Ano 2- nº2). Aqui é possível ler duas posições sobre o assunto, a condenação e a defesa; bem como orientações importantes. Devemos lembrar que ser ou nao vegetariano é uma escolha íntima, dependendo da evolução, da consciência ou apenas da vontade. Boa leitura!


A alimentação sem a proteína animal sempre cria discussão, envolvendo médicos, nutricionistas, vegetarianos e espíritas. Estes últimos que que,mesmo  com grande parcela dos não comedores de carne, ainda ficam divididos. Alguns crêem que alimentar-se de carne não prejudica o espírito, e mais do que uma questão moral, é uma questão de sobrevivência. Outros acreditam justamente o contrário, afirmam que os mesmos nutrientes importantes encontrados na carne como proteínas, gordura, minerais ( ferro, zinco, potássio e fósforo, além de vitaminas ( complexo B) e nos peixes ( vitaminas A,D, e E) podem ser encontradas em outras  fontes de alimento. Do outro lado da discussão, estudiosos afirmam que não há implicação séria em ser onívoro ( onde o ser humano é naturalmente classificado) ou vegetariano. Depende apenas do gosto de cada pessoa e sua cultura alimentar.

O vegetariano alimenta-se basicamente de legumes, verduras e grãos, podendo estender-se a ser ovo-lacto- vegetariano, que como o nome já diz, consome também ovos, leite e seus derivados. O Espiritismo não proíbe o consumo de carne, apenas entende que para trabalhos que envolvam captação e manipulação de energias sutis não é recomendado o uso de alimentos pesados e de difícil digestão, como é o caso da care vermelha, ademais, devemos lembrar que Chico Xavier nunca deixou de alimentar-se de forma responsável, fazendo inclusive o uso de carne em suas refeições.
Dentro do Movimento Espírita há um grupo que segue fidedignamente os ensinos de Ramatis, extraídos principalmente do livro "A fisiologia da Alma"- Editora do Conhecimento, obra, e onde há um capítulo que fala exclusivamente sobre o vegetarianismo, e como ele favorece a purificação do espírito humano.
O respeito à vida animal é o principal ragumento usado pelos defensores da alimentação restritamente vegetariana. Somos todos filhos do mesmo Deus, embora, em níveis diferentes de evolução, de forma que não precisamos interromper outra forma de vida para manter a nossa. 
Nesta linha de pensamento podemos citar um depoimento da escritora Cinira Riedel de Figueredo, em artigo assinado para o site Sítio Vegetariano (www.vegetarianismo.com.br), de forma bastante enfática, o quão prejudicial para o espírito humano é o consumo de carne. "A carne não é um alimento destinado ao homem pela natureza. Disto adverte nosso espírito. Jamais se sentiria alguém atraído a comer carne se visse um cadáver esquartejado! Ninguém seria capaz de comer um pedaço de carne crua, como o faz um animal carnívoro. Somente depois de devidamente preparada, e dela tirada toda aquela impressão de vida que a animou, é que o homem de dispõe a comê-la".
Se analisarmos por este foco concordaremos com a estudiosa, pois todos os seres humanos já passaram pelos demais reinos de evolução da natureza, e se hoje estão em patamar evolutivo superior aos demais, para continuar a sua caminhada frente ao Sol Maior não deve se ater a comportamentos típicos dos antigos bárbaros que iniciaram sua História na Terra.

MAS A QUESTÃO É: COMER CARNE FAZ MAL AO ESPÍRITO?


Para o povo oriental faz mal sim; e acompanhando o pensamento de Ramatis, Osho nos convida a analisar a questão aos olhos da ciência calcada na evolução humana (From Death to Deathlessness, capítulo 32, questão 3) " Há milhões de pessoas  que nunca pensaram no vegetarianismo. Desde a infância elas contribuem para o assassinato de animais. Isto não é diferente do canibalismo. E, desde Charles Darwin, é um fato absolutamente científico que o ser humano evoluiu dos animais; então você está matando seus próprios antepassados, e os devorando com alegria. Não faça algo tão maldoso!" esta corrente de pensamento contra a alimentação com carne difundida por Ramatis e por Kardec tem influências orientais, como o budismo e o hinduísmo, mas ganha força entre os espíritas, e a tendência é que à medida que o planeta se espiritualiza o consumo de alimentos com carne diminua até se extinguir por completo entre os homens.


MAS E FICAR SEM COMER CARNE FAZ MAL A NOSSO CORPO?


Para responder a esta questão nos remeteremos ao amparo de Kardec através da Codificação para saber a posição dos espíritos. Na questão 723, ele pergunta aos espíritos superiores, e eis que e estes respondem :" Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei da conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame de sua organização". Porém, vegetarianos espíritas afirmam que não podem comer um irmão, em nível evolutivo inferior, mas irmão. Autores como Vítor Leonardo da Silva, que também é médico, dizem que se pensarmos por esta vertente, ão deveríamos nos alimentar então, pois o vegetal é um ser vivo, assim como qualquer animal.

O zoologista e especialista em comportamento humano, Desmond Moris, registrou este pequeno trecho em seu livro " O Contrato Animal",- Editora Record, o que acontece quando  alimentação vegetariana não é extremamente balanceada.
"Para aqueles que não estudaram o problema, isto pode ser difícil de entender. Legumes são mais baratos do que carne, mas o problema é equilibrar o consumo de legumes a fim de produzir, através humana, o equilíbrio de aminoácidos tão simplesmente oferecidos por qualquer pedaço de carne. Diferentes vegetais possuem diferentes aminoácidos essenciais, mas não a combinação certa: sem a combinação perfeita de todos os oito, nenhum deles produz o efeito necessário ao aparelho digestivo humano.
isso significa que, a fim de produzir uma refeição vegetariana saudável, é necessário atingir um equilíbrio sutil baseado em conhecimentos bioquímicos, empregando a mistura certa de elementos botânicos. Isto demanda paciência e habilidade e explica porque nas comunidades camponesas ignorantes, uma dieta, a inevitável dieta vegetariana causa tantas doenças sérias. No estado atual das coisas, uma dieta vegetariana equilibrada é essencialmente um fenômeno da classe média alta. Em contra- partida, uma dieta vegetariana adotada de maneira imperfeita pelo povo continua sendo mortífera."
A nutricionista Margarida Sampaio nos fala que carnes são as principais fontes de proteínas, porém não são as únicas. Elas podem ser encontradas na soja, no leite e seus derivados, e também nos ovos. mas deve haver cuidado em não deixar de se alimentar de proteínas, pois mesmo que os vegetarianos tenham uma boa alimentação, a falta delas pode causar inúmeras doenças como pelagra, beribéri, cirrose hepática, dentre outras bem sérias.
Os médiuns e as pessoas que estão passando por tratamento espiritual em Casa Espíritas são aconselhados a não ingerir carne vermelha enquanto durar a sessão ou nos dias de tratamento, para não afetar os fluidos que o médium doará e para que os fluidos recebidos tenham maior eficácia, mas nada que os impeça de comer o que lhes agrada. São apenas conselhos.
O espiritismo preza pelo livre- arbítrio, comer ou não carne é uma questão que só diz respeito à pessoa. ninguém, espírita ou não, tem o direito de impor ou condenar outrem apenas por consumir carne ou ser vegetariano.
Devemos apenas tomar a exemplo de Jesus, que era vegetariano, mas nunca condenou ninguém por comer carne. lembremos dele em Mateus, cap. 15 e versículo 11:" não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que contamina."

PLANO ESPIRITUAL=PEQUENOS ESCLARECIMENTOS POR TIA NEIVA




PLANO ESPIRITUAL

Tia Neiva, nossa Mãe e Mentora teve grande preocupação em nos deixar tudo bem esclarecido para que nós, seus filhos, não precisassemos passar pelo que Ela passou e nem nos perdemos na ignorância e no desconhecimento das coisas. E, assim, temos conhecimento dos fatos da Vida Espíritual e da existência do Plano Astral. Por exemplo, em suas "andanças" com Humarran, ela observou e nos relatou na 2ª Carta da Corporação de Mestres Adjuntos sobre o "Sono Cultural", , Ponta Negra e outros conforme transcrevo abaixo:
1- Sobre o Sono Cultural:- Assim ensinou Humarran à Tia: " E o Sono Cultural, filha? Lá édito tudo o que o Homem precisa saber. Inclusive vem num lar decente. Com pais que ensinam a moral. Não há necessidade de erro. TODOS TEM UMA OPORTUNIDADE.  Em cada canto tem alguém ensinando alguma coisa.

2- Vale Negro- Lá tinha comícios de todo jeito. Gente eufórica, maldizendo e vibrando em outros aqui na Terra. Um triste espetáculo. Aquele trabalho constante. Grupos enormes fazendo Abatás. Outros emitindo aqueles enormes sermões...

3-Legião de Mestre Lázaro- Uma das coisas mais bonitas que vejo ultimamente são os Cavaleiros  Caçadores da mesma Legião de São Lázaro. E, acredite, mu filho, estamos chegando o tempo dos Caçadores. Mas para chegar este tempo é preciso a ABATÀ dos Caçadores. É preciso que o jaguar conheça  bem os seus sentimentos, suas vibrações e se desarme contra os seus vizinhos...

4- Grande Yumatã- É o lugar no canal Vermelho que de 4 em 4 horas muda a iluminação aqui.

5- A Torre dos Grandes Oráculos-  Ao longe via a Torre dos Grandes Oráculos destinados a esta obra. Obatalá na força de Simiromba e Apará nos grandes poderes de Olorum. Fiquei emocionada com aquele rosário de luzes que envolvia aquele mundo mágico.

8 de out de 2012

COBRADORES ESPIRITUAIS




Quem são nossos cobradores?

"Não hesites em fazer as pazes com teu adversário, enquanto estiveres em caminho com ele, para que não, te vá entregar ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial de justiça,e  sejas lançado no cárcere. Em verdade, te digo que daí não sairás, enquanto não houveres pago o último vintém". ( Mateus, 5.21-26)
Mãe Yara, a Mentora dos Doutrinadores dos Templos do Amanhecer, nos ensinam que até mesmo uma mistificação pode ser transformada em fato positivo e aproveitável. Nós podemos completar essa lição afirmando, sem medo de errar, que tudo depende de nossa criatividade, de nossa capacidade em tratar a situações de nossa vida iluminados pelo nosso espírito e sabendo utilizar as energias que ele coloca à nossa disposição."
"Cobrador" é a palavra mais usada e abusada nos meios mediúnicos. Qualquer situação de atrito que se apresente, em que alguém faça algo que nos desagrade, nós temos a tendência de logo julgar que se trate de um cobrador espiritual. Essa generalização é realmente perigosa e pode nos deixar desprevenidos para quando nos encontrarmos om nossos reais cobradores.
Na verdade, "cobrador" é somente aquele espírito a quem nós causamos algum prejuízo deliberadamente e segundo juízo desse mesmo espírito. Por este motivo é que em todas as práticas nos Templos do Amanhecer a gente se refere "àqueles que se dizem nossos inimigos", e não "àqueles que são nossos inimigos".
No emaranhado das relações entre os espíritos na Terra, na luta pela vida, na agressividade compulsória a que o sistema da Terra nos obriga, é difícil, senão impossível, saber-se quando estamos fazendo um inimigo, amenos que a gente tenha plena consciência espiritual de nossos atos. A simples consciência anímica ou física , ou seja a violação do jogo dos princípios, costumes e normas vigentes no meio em que vivemos, só irá se constituir em cobrança se o ofendido assim considerar.
Mesmo assim é muito difícil de se conceituar os atos nos quais nós realmente encontramos ou fazemos um cobrador. Aliás, não são os atos que caracterizam a cobrança mas sim o tipo de reação que se passa entre as pessoas quando se encontram. A maioria dos atritos são dissolvidos pelo próprio sistema humano de ação e reação, sem deixar maiores problemas.
Depois dessa ligeira análise e, como base na experiência quotidiana no atendimento no Vale do Amanhecer, chega-se à conclusão que "cobrador" mesmo é o espírito que vem ao nosso encontro pela "benção de Deus", como costuma se expressar a nossa Clarividente, isto é, aquele que está programado para essa encarnação, cujo enredo estamos vivendo, porque assim queremos conscientemente antes de chegarmos à Deus.
Há ainda que distinguir quando o cobrador é encarnado ou não. Se for desencarnado ele poderá ser um elítrio, obsessor ou alguma outra das várias condições que nossas antigas vítimas se apresentam para nos cobrar." 
(Mário Sassi- trino Tumuchy- Instruções práticas: sob os olhos da Clarividente).
Meus irmãos em Cristo, existem muitos relatos de cobrança espiritual, com maior ou menor intensidade, com maior ou menor ferocidade. Vamos nos ater a dois relatos, muito interessante e que servirão para ilustrar o assunto.
O primeiro nos ´relatado pelo Trino Araken, Mestre Nestor, que conta que certa vez desejando construir um casa contratou um arquiteto. Logo nos primeiros dias, aconteceu um problema com a obra e Mestre Nestor, aborrecido não mais queria o trabalho do empreiteiro e, no calor da discussão disse que o mesmo era um "picareta" e que buscasse seus direitos na justiça. Tempos depois, o empreiteiro desencarnou em uma acidente de trânsito, juntamente com a esposa.
Certo dia, Mestre Nestor foi chamado em um Trono e tão loso sentou-se o espírito ali encarnado disse-lhe: " Eu não sou um picareta!". O Mestre soube que vários problemas que ocorria na obra era por interferência daquele espírito que não perdoou a ofensa à sua honra  ao seu nome profissional.
O segundo relato é bastante conhecido nos meios espírita e se refere ao afamado palestrante Kardecista Divaldo Pereira Franco. Divaldo é fundador da "Mansão do caminho", onde abriga mais de 500 crianças, além de doentes e necessitados há mais de 50 anos. É indiscutível a prática da caridade por esse irmão, que se compadece do sofrimento alheio e pensamos que deve ser um ser totalmente destituído de cobradores. Mas, isto é um equívoco. Divaldo, que possui a mediunidade da vidência, via-se seguido anos a fio por um espírito que não lhe mostrava o rosto, pois usava uma máscara. Durante cerca de 20 anos viu-se perseguido por aquele espírito. Porém, certa noite ao chegar à "Mansão" e tendo se recolhido para dormir foi acordado por um auxiliar que havia encontrado um bebê- uma menina- no portão da "Mansão" e o auxiliar disse a Divaldo que não tinham como ficar com aquela criança, pois não havia lugar nem meios financeiros para acolher mais um menor abandonado. Divaldo, porém, não cedeu aos argumentos do auxiliar e tomando a criança nos braços abraçou-a carinhosamente. Neste momento, o cobrador que estava ao lado deixou cair lágrimas dos olhos e disse a Divaldo que por 20 anos o havia obsediado, mas, que dali e diante o deixaria em paz, pois aquela criança que ele tão amorosamente acolhia havia sido sua mãe numa encarnação passada!
Eu também já recebi o recado de um cobrador que gritou em alto e bom som dentro do Templo que " palavras bonitas não o comovem, quer ver é mudança de comportamento".
Por isto,  amados irmãos em Seta Branca, o que fizemos, está feito. O que pode significar o perdão de um cobrador é a nossa mudança de comportamento. A certeza de que nós, buscamos agora trilhar novos caminhos... caminhos do Amor, da Tolerância e da Humildade. Salve Deus.

OBSSEÇÃO INFANTIL



Extraído da revista "Espiritismo- Filosofia - Ciência- Religião", ano 05- 12, 2011. O texto é de autoria de JM Ferreira, p. 41:


A obsessão infantil é um fato real e as casa espíritas devem estar atentas pra atender a esses casos om responsabilidade, sem levar maiores prejuízos para a criança, para seu familiares e até mesmo para seus algozes. O estudo da Doutrina Espírita mostra que com muito amor, capacidade d perdoar e com bom esclarecimento, a criança e seus perseguidores podem resgatar suas diferenças com o apoio da equipe d desobesessão da casa que frequenta. 
Quando olhamos para uma criança, não significa que aquele espírito que anima o corpo infantil também seja uma criança. A alma que habita aquele corpo poderá até ser mais velho e muito mais vivido do que a dos próprios pais e avós. Assim ensinaram os espíritos a Kardec nas obras da Codificação da Doutrina Espírita. Na jornada da vida, diante as nossas responsabilidades, não somos vistos como crianças, e sim como aprendizes. E na posição de aprendizes cometemos erros, falhas e delitos, para os quias um dia somos chamados a resgatar.Resgato que é feito através da reencarnação, porém, podemos ser cobrados por outros espíritos de forma dmais direta, através da cobrança e da obesessão.

Tratamento
É muito sofrido para os pais perceberem que seus filhos sofrem perseguições espirituais muitas vezes de espíritos que foram prejudicados por eles em vidas passadas. Existem vários meios de tratar essa situação começando começando com a observação dos comportamentos os pais e familiares. Não adianta tentar resolver um problema tendo outro talvez inda maior dentro de casa. A harmonia o lar é um fator muito importante para que o tratamento seja eficaz. Faça o uso constante das preces com o culto do evangelho no lar e, principalmente, deixe que as crianças estejam presentes do jeitinho dela e sem repreensões, para que ela possa vivenciar o culto em família.Não pense que ela não está entendendo o processo do culto, de tudo que está sendo lido  discutido, boa parte ficará gravado em seu subconsciente e no dia e hora certos ira desabrochar faz uma grande diferença.

A importância do bom exemplo.

O dever dos pais é educar e preparar seus filhos para o mundo, de acordo com os preceitos divinos facilitando sua caminhada. "As imperfeições morais do obsediado constituem constantemente, um obstáculo à sua libertação"-(Allan Kardec- Livro dos Médiuns" tentar ensinar o certo falando certo, porém, praticando errado, não vai funcionar. Falar com seu filho que fumar faz mal pra a saúde, mas acender um cigarro atrás do outro não é uma boa maneira de educá-lo, pois você está se contradizendo o tempo todo. E a famosa frase "Faça o que falo, mas não faça o que faço!", também não vai funcionar. O  tratamento da criança obsediada dependerá da disciplina não só dos pais, de toda a família. Assim, é importante para a criança participar da evangelização em família, fazer parte da evangelização infantil " todos os centros espíritas tem este trabalho", recebendo os passes já receitados ...."

Nossas considerações
Assim, é preciso ter muito cuidado com as crianças quando elas apresentam sintomas de obsesão. O ambiente de harmonia e fé, as preces em família, a frequência ao pequeno pajé, como é o caso da nossa doutrina e a conversa, o acolhimento... Devemos ainda ter consciência que a obsessão nas crianças ´mais difícil pois elas não sabem expor o que lhes acontece e o próprio obsessor pode levá-las a acreditar que tudo é culpa delas. Não raro vemos casos de suicídio infantil, depressões, isolamentos, mudança bruscas de comportamento e aversões sem motivos a lugares, objetos e pessoas, podem ser fortes indícios da obsessão nas crianças.
Com fé, carinho e  cuidado é possível passar por esta traumática experiência com mais serenidade.
Salve Deus.

2 de out de 2012



ANOTAÇÕES DIVERSAS DE TIA NEIVA

Certa vez, por volta de meia-noite, cheguei em casa, com muita fome. Peguei uma panelinha e fui esquentar um ovo. Meia sem jeito, queimei meu dedo na caçarola e baixei meu padrão vibratório. Oh, meu Deus! Mãe Yara estava por perto:
- É, ouvi, filha. Que vergonha! E pensar o que esperamos de você, uma líder espiritual!... Mas eu vim para fazermos uma prece. O “seu” Manoel das Emas, seu amigo, vai morrer. Na sua segunda viagem, mande o Delei com a segunda turma. Como você está sem condições, vou-me retirando...
Nem senti como comi o ovo. Sei apenas que estava insegura, a dizer, inconscientemente, no meu íntimo:
- Meu Deus! Por que não me controlei? Será que a Senhora do Espaço vai me deixar outra vez?...
Contei ao Getúlio o que ouvira a respeito do “seu” Manoel, e ele me pediu que me acalmasse e que tivesse cuidado com alguma interferência, já que haviam alguns espíritos zombeteiros. O pior era que eu sabia que ele estava errado, que era verdade, mas não me defendi, pensando somente nas minhas ofensas e que Mãe Yara poderia não mais voltar.
Durante o almoço, Delei me pediu a chave do caminhão e foi fazer o trabalho, para me descansar. Delei e Getúlio eram médiuns de confiança e muito próximos de mim. Com o movimento, esqueci o aviso de Mãe Yara. Um pouco mais tarde, vieram me avisar que o “seu” Manoel caíra morto no chão. Senti um grande remorso. Quem sabe se eu tivesse rezado com a Senhora do Espaço poderia tê-lo ajudado?
Passou-se o tempo e, oito dias depois, à noite, com os olhos abertos, vi o “seu” Manoel de pé, numa estrada luminosa e muito amarela, com seu chapéu de palha e com a mesma roupinha. Sorriu, demonstrando que ainda continuava meu amigo, como se me dissesse que estava feliz!...

(...)

Lembro-me da minha primeira visão. Chegara de uma viagem muito cansativa, e logo me deitei. Alguns colegas, que estavam em minha casa, continuaram a conversar. Muito cansada, não conseguia dormir. De repente, um velhinho, bem conhecido meu, apareceu com um lampeãozinho na mão e, folgadamente, se sentou à beira de minha cama. Dizia-me coisas que logo esqueci, mas lembro de que agradecia, em nome de Deus, o que eu tinha feito por ele, mas me dizia que eu ainda teria que trabalhar muito. Sorri e pensei:
- Está caduco! Trabalhar mais do que eu trabalho?
Logo lembrei que ele já havia morrido, após uma vida em que pedia esmolas, embora tivesse muitas casas alugadas. Ele dizia que era por missão. Era um verdadeiro Espírito de Luz. Mas fiquei apavorada, e saí dali correndo, toda irradiada, e lembro bem, até hoje, de como aquele encontro me atingiu, embora tudo tivesse acontecido como já me tinha sido previsto por Mãe Yara.