18 de out de 2013

O ALCOOL E SUA AÇÃO




ÁLCOOL

Álcool é um líquido incolor obtido pela fermentação de substâncias açucaradas ou amiláceas, de forma natural ou sintética, componente da maioria das bebidas consumidas pelo Homem, gerando vícios e transtornos físicos e espirituais.
O consumo de álcool é, juntamente com o uso de tóxicos e o cruzamento de correntes, objeto de séria advertência para o médium que pretende ingressar na Corrente Oriental do Amanhecer. 
Em apenas 8 segundos, o álcool é absorvido pelo sistema digestivo e penetra na corrente sangüínea, agindo diretamente no fator mediúnico e atingindo todo o organismo, especialmente o cérebro, interferindo de forma intensa na mediunidade, na emissão do ectoplasma e na polaridade dos componentes celulares. 
Causa, a princípio, euforia, bem estar, vontade de cantar, falar, e dá uma sensação de leveza, até que, metabolizado pelo fígado, é desdobrado em outros elementos e eliminado pelos pulmões, pela urina e pelo suor. Atua numa eventual pancreatite, que causa a destruição das células beta do pâncreas, que produzem a insulina, gerando grave quadro de diabetes. 
A questão é que este desdobramento do álcool tem limites, e o que excede permanece na circulação sangüínea, alterando o estado da pessoa, que passa a ficar zonza e a falar enrolado, pela falta de controle da musculatura da língua. Há aqueles que aprendem a controlar esses descontroles físicos, mas isso não impede que a pessoa que ingere álcool fique transformada em um polo emissor de cargas negativas, tornando-se foco de abastecimento de energia para numerosos espíritos sem Luz, não só pela própria energia emitida por seu plexo, mas, também, pela respiração, pois expele partículas de álcool eliminadas pelos alvéolos pulmonares.
Essas condições é que tornam terríveis os ambientes onde se consome muito álcool, fazendo com que ali se concentrem forças inimagináveis que levam a brigas, conflitos e, não raramente, a desencarnes dramáticos. Tia Neiva nos dizia que, no mundo social e físico, seria impossível conseguir-se uma posição religiosa iniciática com um médium embriagado ou mesmo com pequeno fator de álcool em seu organismo. Um homem que ingere álcool jamais conseguirá proporcionar um fenômeno evangélico, puro, iniciático, na linha do mestre Jaguar deste Amanhecer, que representa a Nova Era do Terceiro Milênio. 
A pessoa, ingerindo álcool, se torna verdadeira escrava de irmãos das Trevas, que levam sua vítima a crises cada vez maiores e abismos mais profundos, tornando-se incapaz de controlar, por sua própria vontade, a quantidade a ser ingerida, chegando ao ponto de nem mesmo saber parar de beber. 
Tomando-se por base o teor alcoólico de uma dose de uísque ou bebida destilada similar, pesquisadores observaram que um adulto responde da seguinte forma: 
• 3 doses: a pessoa relaxa, torna-se falante e fica desinibida, porém já com diminuição dos reflexos; 
• 6 doses: declínio do estado de espírito e desaparecimento da autoconfiança, da concentração e da memória, torna-se cambaleante, confusa, com dificuldade de efetuar tarefas as mais comuns e de se controlar, inclusive na articulação da fala, que se torna engrolada, e passa do estado de depressão ao de elevado grau de agressividade; 
• 9 doses: causam intoxicação profunda, com dificuldades para a pessoa se manter em pé, com a mente transtornada, passa rapidamente por momentos de choro convulso e de acessos de raiva, desencadeando emoções totalmente descontroladas, sem qualquer senso de responsabilidade; 
• Acima de 9 doses: faixa em que pode ocorrer o coma alcoólico ou o desencarne pela disfunção respiratória. 
Alguns dados estatísticos revelam a devastação social provocada pelo alcoolismo: alcoólatras ocupam mais de 40% dos leitos em tratamentos nos hospitais psiquiátricos; 60% dos crimes contra a pessoa humana acontecem por ação da bebida alcoólica, que também causa o abandono do lar por quase a metade dos menores moradores das ruas, nas grandes cidades; e o prejuízo na produção, onde o álcool é responsável pelos acidentes de trabalho e queda de mais de 30% na capacidade operacional do trabalhador. 
Por tudo que já foi visto, o alcoolismo é considerado uma enfermidade de dependência. Há um velho ditado: “À criança e ao borracho, Deus põe a mão por baixo!”, explicando a aparente proteção divina que os bêbados recebem. Engano de interpretação, pois o bêbado se coloca muito distante de Deus e da Espiritualidade Maior. Sua proteção vem dos irmãos sem Luz, que não querem perder a sua mina de energia negativa. Enquanto útil, terá todo o cuidado daqueles que se abastecem de suas energias. 
Devemos ter em mente, sempre, que os mesmos poderes possuem as Entidades da Luz e as Inluz, isto é, a proteção de um ser encarnado pode estar por conta de Espíritos de Luz ou, de acordo com sua utilidade, pelos irmãos das Trevas! 

Em reuniões sociais ou ambientes onde haja bebida alcoólica, deve o Jaguar se cuidar, mantendo-se alerta, principalmente aquele que, algum dia, já foi consumidor de álcool. Os irmãozinhos vão tentar induzi-lo a voltar ao álcool. Somente um copo, uma cervejinha - tentarão os “amigos”, e ainda podem apelar para formas mais contundentes, tais como, “mostre que é homem” ou “deixe de ser fanático”. Tudo parte do trabalho das Trevas, para destruição do Jaguar. 
Alertai! Mas o grande perigo não está na degeneração da força iniciática. Segundo Koatay 108, durante o sono sofremos o desdobramento, indo nosso espírito para o Canal Vermelho (*), onde vamos trabalhar com a força do nosso magnético animal, usado pela Espiritualidade para o auxílio aos irmãos que aguardam a continuação de suas jornadas. Ali liberamos energia vital iniciática. Caso tenha consumido álcool, a energia vital se torna energia envenenada, e não teremos como cumprir nossos compromissos.
Algumas contradições existem com relação a medicamentos contendo álcool. Existem determinados produtos medicamentosos que só se dissolvem em álcool, principalmente xaropes e remédios homeopáticos e da flora. Pelo pequeno teor de álcool e, pela consciência de cada um, considerando o período de sua ingestão, pode ser feito o seu uso. A Espiritualidade saberá da necessidade desse consumo, e tomará providências para proteção. Dentro do organismo é erguida barreira magnética, sendo bloqueada a ação do álcool ingerido. 
Em condições normais, uma gota de álcool leva cerca de oito horas para ser eliminada. Mas, nos casos de necessidade médica, esse tempo se reduz, não havendo comprometimento para o médium. Isso não se aplica aos casos não medicamentosos, e o médium do Amanhecer deve evitar bombons, balas e alimentos ou bebidas contendo álcool, mesmo em porções reduzidas, porque não terá a proteção magnética, e sofrerá plenamente as conseqüências de sua irresponsabilidade. 
Outro cuidado é o controle emocional, pois a Ciência vem comprovando uma teoria de que, ao ser submetido a uma forte tensão, o Homem sofre a deficiência de uma substância até o momento não identificada que o leva à necessidade física de consumir álcool. 
Por isso, devemos ter a orientação e a confiança na Corrente, buscando, nos momentos difíceis, a ajuda de nossos Mentores.

fonte: Observações Tumarã.